Lei de Acesso à Informação completa 7 anos nesta quinta

LAI

Publicado em 16/05/2019 - 10:04 Por Gilberto Costa - Brasília

A Lei de Acesso à Informação completa sete anos nesta quinta-feira. A lei, também conhecida pela sigla como “LAI”, obriga órgãos e entidades públicas a fornecer ou autorizar o acesso imediato à informação disponível”. Não sendo possível conceder o acesso imediato, o órgão ou entidade que receber o pedido deverá repassá-lo em prazo não superior a 20 dias.
 

Especialistas ouvidos pela EBC avaliam positivamente a lei. Gil Castelo Branco, da ONG Contas Abertas, avalia que o acesso à informação aprimora a gestão dos recursos públicos.

 

 “Essa lei criou oportunidade para termos acesso a documentos até então impossível. A transparência aprimora o gasto, a qualidade da despesa, a legalidade do ato, além de ser um direito do cidadão. Nada mais é que saber para onde estão indo os recursos obtidos com o pagamento de impostos”, explica Gil.

 

Flávio Unes, presidente da Comissão Especial de Proteção de Dados da OAB, faz coro em defesa da LAI, mas assinala que apesar da norma já existir há alguns anos, o nível de implantação varia conforme o poder (Executivo, Legislativo e Judiciário) e o ente federativo (município, estado ou União).

 

Para o representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), apesar dos avanços na transparência de informações públicas, sobrevive uma cultura de sigilo em alguns órgãos públicos. A mudança deve tornar as informações mais acessíveis e claras. Isso depende de investimentos.

 

“Cumprir a lei, disponibilizando de forma mais didática e eficiente as informações requer investimento. Gastos em tecnologia, em equipamento, em treinamento de pessoal para que institucionalmente haja essa cultura e essa expertise. Em municípios menores, há uma dificuldade maior, mas isso não é razão para omissão total desses entes”,

 

A Procuradoria-Geral da República informou que prepara para este ano um “ranking da transparência educacional” sobre órgãos que aplicam verbas federais na educação.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Governo vai expandir possibilidade de sinal de rádio FM

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, assinou nesta quinta-feira (13) uma portaria, junto com o presidente Jair Bolsonaro, para regularizar o serviço de retransmissão de rádio.

Baixar arquivo
Saúde

Rio registra aumento de leitos hospitalares pela 1ª vez em 10 anos

Após a perda de 16 mil leitos hospitalares, apenas entre 2011 e 2019, o Rio de Janeiro viu, em 2020, pela primeira vez, aumento no registro de vagas nas unidades de saúde.

Baixar arquivo
Política

Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Estudante do oitavo ano do ensino fundamental em Brasília, Arthur Cardoso relata os desafios que tem enfrentado desde que as escolas fecharam, por consequência da pandemia do novo coronavírus.
 

Baixar arquivo
Saúde

Planos de saúde devem cobrir teste rápido de Covid-19

Os planos de saúde são obrigados a cobrir os testes sorológicos para a Covid-19. A medida foi aprovada pela Diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por unanimidade, em reunião nesta quinta-feira (13).

Baixar arquivo
Economia

Governo lança aplicativo eSocial Doméstico para empregadores

A partir de agora o eSocial  tem aplicativo para celulares. Com a medida, empregadores poderão realizar registro do empregado e gerenciamento da folha de pagamento pelo celular.

Baixar arquivo
Política

Saúde diz que usou 48% dos recursos destinados ao combate à pandemia

O Ministério da Saúde gastou 48% dos recursos destinados exclusivamente para o combate à pandemia da Covid-19, informou o ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (13) no Congresso Nacional.

Baixar arquivo