Presidente sanciona ajuda a estados e municípios com veto ao reajuste de servidores

Ajuda a estados e municípios

Publicado em 28/05/2020 - 11:26 Por Lucas Pordeus León - Brasília

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de ajuda financeira aos estados e municípios, mas vetou a possibilidade de reajuste aos servidores públicos até o final do próximo ano.

 

Aprovado pelo Congresso Nacional no início do mês, o projeto permite o repasse, pela União, de R$ 60 bilhões aos estados e municípios em decorrência da queda na arrecadação causada pela crise do novo coronavírus.

 

Dos R$ 60 bilhões de auxílio, R$ 10 bilhões serão exclusivamente para ações de saúde e assistência social, sendo R$ 7 bilhões para estados e R$ 3 bilhões para os municípios. Os demais R$ 50 bilhões podem ser gastos livremente pelos entes federados, sendo R$ 30 bilhões para estados e R$ 20 bilhões para municípios.

 

Como o Distrito Federal não participa do rateio entre os municípios, vai receber R$ 154 milhões a mais. Os valores serão repassados em quatro parcelas. Além disso, o socorro inclui a suspensão e renegociação de dívidas. Somando-se tudo, a ajuda financeira pode chegar a R$ 125 bilhões.

 

O presidente Jair Bolsonaro, como prometido, vetou, a pedido da equipe econômica, a possibilidade de reajuste aos servidores civis ou militares. Com isso, ficam congelados, até o final de 2021, os salários do funcionalismo público dos estados e municípios, incluindo os profissionais de saúde.

 

Na justificativa ao veto, o Ministério da Economia e o da Defesa argumentaram que a possibilidade de reajuste viola o interesse público ao reduzir a economia estimada com o congelamento dos salários, retirando dois terços do impacto fiscal esperado.

 

Os parlamentares haviam excluído do congelamento uma série de categorias, como profissionais de saúde e da educação pública, incluindo professores, profissionais de limpeza urbana e de assistência social, desde que diretamente envolvidos no combate à pandemia.

 

O presidente Jair Bolsonaro vetou ainda o dispositivo que permitia suspender o pagamento das dívidas de estados e municípios com bancos e organismos internacionais. Na justificativa do veto, a equipe econômica afirma que a medida abre a possibilidade de o Brasil ficar inadimplente perante o mercado internacional.

Últimas notícias
Educação

No Rio o Trilha Empreendedora vai atender alunos de outras 76 escolas

Mais alunos da rede pública do estado do Rio de Janeiro terão oportunidade extra de capacitação e aproximação com o mercado de trabalho em 2022.

Baixar arquivo
Geral

Criado Programa de Operações de Proteção Etnoambiental e Territorial

Com o objetivo de responder a eventuais situações de urgência e emergência enfrentadas por povos indígenas, a Funai criou o Programa de Operações Especiais de Proteção Etnoambiental e Territorial.

Baixar arquivo
Saúde

Dose de reforço é indicada após 30 dias dos sintomas da covid

 A recomendação é de que se aguarde pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas da covid, ou após o resultado positivo no teste PCR. ou de confirmação da gripe ou doenças respiratórias.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Onda de forte calor deve diminuir esta semana na região Sul

O calor intenso deve permanecer até quarta-feira (26), quando uma frente fria deve passar a atuar no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná — derrubando as temperaturas a partir de quinta-feira (27).

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Butantan oferece atividades virtuais de ciências para as crianças

Com museus e parque fechados para visitação por causa da pandemia, o Instituto Butantan, localizado em São Paulo, disponibiliza, a partir desta segunda-feira (24), uma programação online gratuita para crianças e adultos.

Baixar arquivo
Economia

Um a cada cinco brasileiros só utiliza conta bancária digital

As contas bancárias digitais, aquelas que só funcionam pela internet, deixaram de ser mais um modismo e caíram no gosto popular, diz pesquisa do Instituto Locomotiva.

Baixar arquivo