Senado aprova PL contra fake news, e texto segue para Câmara

Congresso Nacional

Publicado em 30/06/2020 - 22:07 Por Kariane Costa - Brasília

Com um placar apertado, o texto principal do projeto das fake news foi aprovado pelo Senado nesta terça-feira. Foram 44 votos favoráveis e 32 contrários à matéria.


O projeto cria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, conhecida como lei das fake news, as notícias falsas.


Antes do início do debate, uma parcela de senadores defendeu novamente o adiamento da votação, mas o pedido foi negado pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre, que argumentou que a proposta já tinha sido discutida com profundidade no Parlamento.


Na prática, o projeto prevê normas para redes sociais e serviços de mensagem privada. O objetivo é   combater perfis falsos e identificar os autores de disseminação de notícias falsas. O texto traz uma série de medidas que os provedores devem adotar, sob pena de multa de até 10 % do faturamento da empresa no Brasil no último exercício.

O relator do projeto, senador Ângelo Coronel, fez várias modificações na proposta original, depois de muita negociação entre os parlamentares. Entre as mudanças está a retirada da possibilidade de penalidades criminais para quem disseminar fake news.


Pela proposta, as novas regras valem apenas para as redes sociais com mais de 2 milhões de usuários. Também não serão exigidos documentos como CPF, identidade e número de telefone celular para abertura de contas nesse tipo de mídia. A identificação dos usuários irá ocorrer apenas em casos suspeitos.


Perfis de agentes públicos, como ministros e o presidente da República, passam a ser considerados de interesse público, e não poderão bloquear o acesso de outras contas às publicações.


Além disso, antes de remover um conteúdo, os provedores deverão garantir o direito de resposta ao usuário, exceto em alguns casos específicos, como incitação à violência contra pessoa ou grupo, especialmente em razão de sua raça, gênero, orientação sexual, origem ou religião.


Apesar das modificações adotadas pelo relator, a versão final não agradou boa parte dos senadores. O governo orientou o voto contrário à proposta. Para o líder no Senado, Fernando Bezerra Coelho, do MDB, o texto fere a liberdade de expressão.


O projeto determina ainda o rastreamento das mensagens encaminhadas em redes privadas, como o WhatsApp, e a identificação dos usuários. Esses dados devem ser guardados por três meses, e só podem ser revelados mediante autorização judicial. Essa coleta de dados não se aplica quando a mensagem for compartilhada com menos de mil usuários.


Fica proibida a comercialização de serviços de disparos em massa, atividade que será fiscalizada pelas próprias empresas e plataformas.


O texto prevê ainda a criação do Conselho de Transparência e Responsabilidade na Internet, que deverá estipular um código de conduta para empresas e usuários.


A matéria segue agora para a Câmara do Deputados.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Cultura

ONU anuncia mais 175 livros infantis para Clube de Leitura ODS

A ONU tem um desafio a ser cumprido até 2030: são os objetivos do desenvolvimento sustentável. E esse assunto também deve ser conhecido pelas crianças. Foram anunciadas as 175 obras escolhidas para aumentar o Clube de Leitura dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Baixar arquivo
Esportes

Atlético-MG recebe São Paulo neste domingo no Mineirão

Atlético-MG e São Paulo precisam concentrar forças para o Campeonato Brasileiro. Galo e Tricolor passaram por dificuldades nas duas primeiras rodadas e perderam pontos que podem ser preciosos no fim da competição.

Baixar arquivo
Geral

Ministério de Direitos Humanos lança campanha contra trabalho infantil

12 de junho é o Dia Internacional e Nacional de Combate ao Trabalho Infantil. No Brasil, é ilegal qualquer tipo de trabalho realizado por crianças ou adolescentes com menos de 16 anos, independentemente da finalidade ou remuneração.

Baixar arquivo
Geral

Criminoso mais procurado do Rio é morto em ação da Polícia Civil

A Polícia Civil do Rio de Janeiro capturou neste sábado (12) Wellington da Silva Braga, conhecido como Ecko, chefe da maior milícia em atividade do

Baixar arquivo
Esportes

Seleção venezuelana confirma 12 casos positivos para covid-19

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que foi notificada pela Confederação Sul-americana de Futebol, a Conmebol, nessa sexta-feira (12), de que 12 integrantes da seleção venezuelana de futebol, entre

Baixar arquivo
Geral

Queiroga diz que todos os brasileiros devem ser vacinados este ano

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assegurou neste sábado (12), que todos os brasileiros com mais de 18 anos deverão estar vacinados contra a covid-19 até o final deste ano.

Baixar arquivo