Congresso tem nesta quarta (18) mais uma sessão para analisar vetos

São 21 itens, entre eles o que criava multa para o não uso de máscaras

Publicado em 18/08/2020 - 12:06 Por Lucas Pordeus León - Brasília

O Congresso Nacional deve se reunir nesta quarta-feira (18) para discutir e analisar os vetos presidenciais. A pauta é extensa. Entre os vetos, tem o que anulou 11 trechos do projeto que ampliava o rol de categorias beneficiadas pelo auxílio emergencial, como pescadores artesanais, agricultores familiares, quilombolas e demais povos tradicionais.

Segundo a justificativa do governo, ao especificar determinadas categorias para receber o auxílio, a proposta ofenderia o princípio da isonomia. Também foi vetado no mesmo projeto a possibilidade de homens solteiros chefes de família receberem o benefício em dobro, como já ocorre com as mulheres que criam os filhos sozinhas. O Executivo alegou que o programa não teria mecanismos para saber quem de fato cuida dos menores, se a mãe ou o pai.

Também deve ser analisado pelo Congresso nesta semana o veto ao projeto que torna obrigatório o uso de máscaras durante a pandemia. Foi vetado o uso obrigatório em estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e escolas. Segundo o Executivo, a norma poderia ser interpretada como violação de domicílio.

Também foi vetado artigo que previa multa para o não uso de máscaras e para o estabelecimento que não disponibilize álcool em gel. O governo alegou que essas medidas poderiam gerar insegurança jurídica por falta de balizas para aplicar a sanção. O veto a esse projeto não anula os decretos e leis estaduais e municipais que determinam a obrigatoriedade do uso de máscaras ou a multa para quem não utilizar.

Há ainda, na pauta do Congresso, o veto parcial ao projeto com medidas de proteção nos territórios indígenas. Entre os trechos vetados, está o que previa uma lista de serviços a serem oferecidos pela União de forma urgente, gratuita e periódica; como oferta de água potável, alimentos e materiais de higiene; além de leitos hospitalares; UTIs; máquinas de oxigenação sanguínea e ventiladores pulmonares.

 

O Palácio do Planalto também barrou a elaboração de um plano de contingência para lidar com surtos e epidemias nas áreas indígenas, quilombolas e dos demais povos tradicionais. O governo federal justificou o veto afirmando que o projeto criava despesas obrigatórias sem demonstrar o impacto orçamentário o que, segundo o Executivo, seria inconstitucional.

 

Esta será a segunda sessão do Congresso Nacional para se votar vetos presidenciais desde o início da pandemia. Uma terceira sessão foi marcada o próximo dia 2 de setembro.

 

Edição: Lana Cristina

Últimas notícias
Esportes

Confira os resultados do fim de semana para o Campeonato Brasileiro

Resultado importante também na Copa do Brasil, com o Atlético Mineiro se classificando com vitória sobre o Brasiliense.

Baixar arquivo
Geral

Médicos peritos do INSS retomam atendimento nesta 2ª feira

A categoria se comprometeu a repor os 52 dias parados e a trabalhar para reduzir o estoque de perícias não realizadas durante a paralisação. 

Baixar arquivo
Geral

Confira a previsão do tempo no Brasil nesta segunda-feira (23)

Curitiba, no Paraná, apresenta sol entre muitas nuvens e temperatura entre 10 e 20º C.

Baixar arquivo
Geral

Sul: confira a previsão do tempo nesta segunda-feira (23)

Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, inicia a semana com sol, poucas nuvens e temperatura marcando entre 12 e 21º C.

Baixar arquivo
Geral

Sudeste: confira a previsão do tempo nesta segunda-feira (23)

Rio de Janeiro tem sol entre nuvens, temperatura mínima de 14 e máxima de 28º C.

Baixar arquivo
Geral

Nordeste: confira a previsão do tempo nesta segunda-feira (23)

Salvador, na Bahia, tem muitas nuvens, com possibilidade de chuva isolada. Temperatura oscilando entre 21 e 29º C.

Baixar arquivo