Redes sociais tentam combater fakenews em campanhas eleitorais

Eleições Municipais

Publicado em 10/08/2020 - 09:59 Por Gésio Passos - Brasília

As campanhas eleitorais já não são mais as mesmas do passado. Nesta década, com a ampliação do acesso à internet, a propaganda eleitoral nas redes sociais passou a ser mais relevante nas disputas políticas.

 

E com a pandemia do novo coronavírus, esta forma de fazer política deverá ser predominante nas eleições de 2020. Ricardo Caichiolo, cientista político e professor do Ibmec/DF, explica como as campanhas devem ocorrer este ano.

 

E com o fenômeno da desinformação nas redes sociais, as chamadas fakenews passaram a ter forte influência das eleições. Com isso, este ano, duas das maiores plataformas digitais, Facebook e Instagram, que fazem parte do mesmo grupo, modificaram as regras para postagens patrocinadas envolvendo política e eleições.

 

A partir deste mês, os anúncios vão precisar usar o rótulo “pago por” ou “propaganda eleitoral” nas postagens. Assim, os usuários vão poder identificar a origem das postagens, bem como seus responsáveis.

 

Ricardo Caichiolo afirma que as novas regras vão ajudar a identificar quem propaga as fakenews.

 

O anunciante também vai precisar confirmar sua identidade e residência no Brasil ao Facebook e Instagram, enviando comprovante de endereço e documentação para as plataformas. As informações dos anúncios ficarão disponíveis para o público por 7 anos.

 

O Facebook ainda remove conteúdos em desacordo com suas regras e aqueles que podem provocar algum mal imediato à população. Conteúdos que levam a desinformação são checados por agências especializadas, com exceção de postagem de agentes políticos que não ferem as regras da rede social.

 

Segundo as plataformas, as regras vão garantir mais autenticidade e transparência dos conteúdos políticos impulsionados. Mas, elas destacam que cabe ao anunciante cumprir a legislação eleitoral.

 

Em julho, o Senado aprovou um projeto sobre fakenews, responsabilizando as plataformas pela retirada de conteúdo que promova a desinformação. O projeto segue em tramitação na Câmara dos Deputados.

Últimas notícias
Saúde

OMS abre consulta para mudar nome da varíola dos macacos

A nomeação das espécies de vírus é de responsabilidades do Comitê Internacional de Taxonomia de vírus

Baixar arquivo
Saúde

Diabetes gestacional pode trazer mais riscos na hora do parto

O problema ocorre devido a mudanças hormonais que a mulher sofre durante a gestação

Baixar arquivo
Justiça

Termina quinta-feira o prazo para requerer voto em transito

Podem requerer o benefício os eleitores que não poderão estar no domicílio eleitoral no dia da votação, que será em 2 de outubro, para o primeiro turno; e 30 de outubro, onde houver segundo turno.

Baixar arquivo
Política

Eleições 2022: enquetes e sondagens estão proibidas

O tribunal define enquete ou sondagem como levantamento de opiniões sem a utilização de um método científico

Baixar arquivo
Educação

Prouni 2022: prazo para documentação vai até 24 de agosto

A apresentação da documentação pode ser feita presencialmente ou virtualmente a depender da instituição de ensino

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Exoesqueleto robótico auxilia a recuperação do movimento das pernas

A ideia do ExoTAO é o de ser uma órtese inteligente, um exoesqueleto robótico que ajude pessoas que perderam o movimento das pernas a recuperarem a capacidade de locomoção.

Baixar arquivo