Câmara aprova projeto do novo marco regulatório de gás natural

Proposta é que gasodutos possam ser explorados por autorização

Publicado em 02/09/2020 - 08:52 Por Lucas Pordeus León - Brasília

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que cria um novo marco regulatório para o setor de gás natural no Brasil trocando a concessão para o transporte do combustível por uma simples autorização. Foram 351 votos a favor e 101 contrários. A medida agora segue para análise no Senado.

Segundo o texto, a autorização para construção ou ampliação de gasodutos deve ocorrer após chamada pública realizada pela ANP, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Essas autorizações serão por tempo indefinido e só poderão ser revogadas, entre outros motivos, a pedido da empresa, se ela falir, se o gasoduto for desativado ou se a companhia descumprir obrigações de forma grave.

Atualmente, o transporte de gás é concedido à iniciativa privada por meio de concessão em licitação pública por 30 anos. Os atuais contratos vigentes devem se adequar às novas regras em até 5 anos após a publicação da lei.

O parlamentar do Cidadania do Espírito Santo, deputado Da Vitória, defendeu que o novo marco vai estimular o investimento privado no setor.

Já o deputado do PCdoB da Bahia, Daniel de Almeida, afirmou que o novo marco só beneficia algumas grandes empresas.

O projeto ainda acaba com a exclusividade dos estados na atividade de distribuição de gás natural, permitindo a exploração desse serviço também pelas empresas privadas de energia elétrica e proíbe que a Petrobras participe do mercado de transporte do produto.

O texto ainda prevê mecanismos para viabilizar a desconcentração do mercado de gás, onde atualmente a Petrobras participa com 100% da importação e processamento, e cerca de 80% da produção. Nesse sentido, a agência que regula o setor deve acompanhar o mercado para estimular a competição e reduzir a concentração.

 

Edição: Lana Cristina

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Política

Sem acordo deputados adiam votação da MP de manutenção de emprego

Por falta de acordo foi adiada, mais uma vez, a votação da  Medida Provisória  que cria o Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. A MP  enfrenta resistência porque o relator, deputado Christino Áureo,incluiu vários outros temas no texto, como mudanças na CLT.

Baixar arquivo
Cultura

Programa vai premiar iniciativas de samba e hip-hop de favelas no Rio

Inscrições já estão abertas. Serão selecionadas 50 iniciativas e cinco agentes culturais com projetos de todas as regiões da cidade, colocando na mesma roda o samba, o hip hop e a rima.

Baixar arquivo
Cultura

Filme sobre Exú abre o Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul

A nova edição do tradicional festival teve início nesta quarta-feira e este ano vai percorrer seis municípios do RJ.

Baixar arquivo
Geral

Projeto piloto Embarque + Seguro chega ao Aeroporto de Brasília

O sistema usa o reconhecimento facial para autorizar a entrada no avião. O uso dessa tecnologia inclui o Brasil entre os países que começam a abandonar a necessidade de apresentar documentos no portão de embarque.

Baixar arquivo
Política

Na posse de Ciro Nogueira, Bolsonaro fala de mudanças no Bolsa Família

Em evento que oficializou o novo ministro da Casa Civil, presidente disse que deve assinar esta semana a MP que cria o novo "Auxílio Brasil", que deve pagar acima do valor do atual benefício.

Baixar arquivo
Saúde

Governador de SP diz que recebeu menos doses da Pfizer, Saúde nega

O governador de São Paulo, João Dória, disse que estado recebeu 228 mil doses da vacina da Pfizer a menos que o previsto. O Ministério da Saúde explicou que a redução foi feita para compensar doses a mais da vacina Coronavac, que foram retiradas diretamente do Instituto Butantan.

Baixar arquivo