Falta de campanhas e fake news podem ter agravado efeitos da pandemia

Publicado em 05/07/2021 - 15:05 Por Leandro Martins - Brasília

A veiculação de notícias falsas e a comunicação insuficiente podem ter agravado os efeitos da pandemia do coronavírus no Brasil. Essa é a conclusão apresentada nesta segunda-feira, em debate no Senado, na Comissão Temporária da Covid-19, que acompanha as medidas de combate à pandemia.

O diretor-adjunto da ABIN, a Agência Brasileira de Inteligência, Frank Oliveira, começou a audiência explicando a diferença entre as fake news e a desinformação. Pare ele, enquanto as fake news são divulgadas de forma não intencional, a desinformação é a produção e divulgação massiva de notícias falsas, com objetivo de manipular a opinião pública.

Murilo Aragão, fundador da Arko Advice, empresa de análise política, aponta que o Brasil tem uma imprensa de alta qualidade, embora existam conflitos ideológicos já tradicionais. Ele vê mais risco de fake news nas redes sociais uma vez que as plataformas sociais deram ao cidadão a possibilidade de se comunicarem de forma mais ampla, mas, por outro lado, há uma certa irresponsabilidade nessas ações.

Já Paulo Jerônimo de Sousa, presidente da ABI, a Associação Brasileira de Imprensa, acredita que faltou comunicação massiva para alertar sobre os perigos da Covid. Ele citou os 164 jornalistas que morreram desde o início da pandemia.

No Amazonas, o alto número de casos fatais de coronavírus foi provocado pela lotação dos hospitais e das unidades de saúde, somada à distância da capital Manaus dos outros municípios – e não a falhas na comunicação. Essa é a análise da secretária de Comunicação do governo do Amazonas, Josiclecia Nogueira. 

Para o diretor do Departamento de Mídia e Promoção, da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Ricardo Martins da Veiga, o governo federal agiu com seriedade na informação da população, com campanhas informativas desde o início da pandemia.

A comissão temporária da Covid 19 será prorrogada por mais 120 dias, por requerimento apresentado pelo presidente do colegiado, senador Confúcio Moura, do MDB de Rondônia.

Edição: Sâmia Mendes / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Cultura

Rádio Nacional do RJ pode ser declarada Patrimônio Imaterial do Estado

A Rádio Nacional do Rio de Janeiro poderá ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial do Estado. Um projeto de lei, de autoria dos deputados estaduais Mônica Francisco, do PSOL, e Waldeck Carneiro, do PSB, foi aprovado na Assembleia Legislativa.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

SP usa pela primeira vez a queima controlada para prevenir incêndios

A experiência está acontecendo na Estação Ecológica Jataí na cidade de Luís Antônio, no interior de São Paulo.

Baixar arquivo
Política

Câmara dos Deputados elege novos membros da mesa diretora

O deputado Lincoln Portela, do PL de Minas Gerais, foi eleito nessa quarta-feira para o cargo de vice-presidente da Câmara dos Deputados.

Baixar arquivo
Saúde

Centro-oeste tem aumento de 165% dos casos de dengue

Os casos de dengue vêm crescendo no país. O centro-oeste lidera com mais de 855 mil casos prováveis da doença transmitida pelo Aedes Aegypti, segundo o Ministério da Saúde.

Baixar arquivo
Saúde

Pesquisa alerta para publicidade ilegal de fórmulas infantis

Seis em cada dez farmácias e supermercados brasileiros infringem a legislação que regula o marketing de produtos que podem prejudicar a amamentação, diz pesquisa do Observa Infância.

Baixar arquivo
Saúde

Podcast Entrevista é Nacional: Maio Roxo e as doenças intestinais

A campanha Maio Roxo conscientiza a população sobre as doenças inflamatórias intestinais . O médico Idblan Carvalho detalha os sintomas, o caminho até o diagnóstico e o tratamento das doenças de Crohn e da retocolite.

Baixar arquivo