Suspeito de lobby da Precisa Medicamentos depõe na CPI da pandemia

Publicado em 15/09/2021 - 16:59 Por Leandro Martins - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Na reta final dos trabalhos, a CPI da Pandemia do Senado ouviu nesta quarta-feira o advogado e empresário Marconny Albernaz de Faria. Ele é suspeito de ter atuado como lobista da Precisa Medicamentos, na tentativa de venda da vacina indiana Coxavin para o Ministério da Saúde.

Marconny lamentou ter sido convocado à CPI, alegando que nunca foi denunciado por corrupção, e disse que a quebra do seu sigilo pessoal o prejudicou, expondo sua vida privada. O advogado invocou o direito de se manter calado, garantido em habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal, mas ele respondeu a várias perguntas dos senadores.

O depoente negou o envolvimento em compra de vacina da covid-19. Ele disse que foi sondado pela Precisa Medicamentos no início da pandemia, no ano passado, para trabalhar como assessor político e técnico numa concorrência pública para aquisição de testes rápidos.

O depoimento de Marconny Faria deveria ter sido no dia 2 de setembro, mas ele apresentou um atestado médico e não compareceu à audiência. O atestado acabou sendo anulado pelo próprio médico que o concedeu.

No final da reunião, o presidente da CPI Omar Aziz afirmou que vai pedir a inclusão, no relatório final da comissão, do ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário. Para Aziz, o ministro precisa explicar porque, mesmo tendo acesso a investigações e documentos, não tomou ações para barrar as negociações irregulares conduzidas por servidores públicos no Ministério da Saúde.

Sobre a entrega do relatório, o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues, anunciou que haverá uma reunião hoje à noite, para discutir o calendário das próximas duas semanas de trabalhos da comissão. Ele admite que a entrega do relatório pode acontecer mais tarde do que o prazo anunciado.

Edição: Raquel Mariano / GT Passos

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Campanha Respeitável Circo vai garantir serviços públicos aos artistas

Agora, com um cartão nacional de saúde específico para a população circense,a comunidade poderá ser atendida em qualquer unidade de saúde do país. Já o Ministério da Educação prepara uma cartilha para orientar estados e municípios sobre a oferta de ensino.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Estudo da Rede Clima mostra que o país pode evitar o desmatamento

Um estudo da Rede Clima  estima que o Brasil pode evitar o desmatamento de 10 milhões de hectares de floresta Amazônica. Para isso, o país deve investir R$1,45 bilhão em 20 anos.

Baixar arquivo
Saúde

Fiocruz aponta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave

O coordenador do Infogripe, Marcelo Gomes, afirma que o país vive o melhor momento desde o início da pandemia, mas avalia, no entanto, que ainda é preciso ter cautela. Isso porque esses valores ainda não representam um nível de segurança epidemiológico.

Baixar arquivo
Geral

Quase 15 mil pessoas sofrem com a salinização do rio Amazonas no Amapá

Com a situação de emergência no Arquipélago do Bailique, a Secretaria de Mobilização e Participação Popular de Macapá iniciou uma campanha para arrecadação de água potável para as 54 comunidades que vivem no local.

Baixar arquivo
Política

STF derruba artigos da reforma trabalhista que restringiam gratuidade

Por maioria de votos, o Supremo Tribunal Federal julgou inconstitucionais dispositivos da reforma trabalhista de 2017 que determinaram o pagamento de honorários periciais e sucumbenciais por beneficiários da justiça gratuita.

Baixar arquivo
Saúde

Antecipação da vacina da Pfizer acende alerta para validade das doses

O problema é que muitas pessoas que, pela previsão inicial, tomariam a segunda dose em novembro, não estão comparecendo.

Baixar arquivo