Senado aumenta a punição para o crime de injúria racial em eventos

Publicado em 18/05/2022 - 22:55 Por Kariane - Brasília

O senado aprovou na noite desta quarta-feira aumento da punição para quem comete o crime de injúria racial em eventos esportivos, religiosos e humorísticos. 

A proposta eleva a pena para dois a cinco anos de reclusão. O Código Penal hoje prevê de um a três anos de reclusão para a injúria com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião e origem.

O texto volta para a análise dos deputados, pois sofreu alteração.

 O relator no Senado, Paulo Paim do PT do Rio Grande do Sul previu ainda que o condenado por esse tipo de crime será proibido de frequentar os locais destinados a eventos esportivos e culturais por três anos.

O projeto também prevê aplicação de injúria para quem agir com violência contra manifestações e práticas religiosas. 

Edição: Raquel Mariano / Beatriz Arcoverde

Últimas notícias
Economia

Em junho, balança comercial registra saldo positivo de U$ 8,8 bilhões

O Brasil exportou mais de U$ 32,7 bilhões em produtos ao longo do mês passado. E comprou de outros países quase U$ 24 bilhões.

Baixar arquivo
Geral

Funcionários podem ser punidos em caso de difamação nas redes

Os funcionários podem usar suas redes sociais para fazer desabafos sobre o trabalho desde que não violem o direito à imagem e à privacidade da empresa

Baixar arquivo
Geral

TSE: eleições terão novos recursos de acessibilidade

O vídeo feito por uma intérprete de Libras será exibido em todas as 577 mil urnas eletrônicas preparadas para a eleição de outubro

Baixar arquivo
Economia

Doação de pessoa para campanha via PIX só pode ser feita com CPF

A decisão por unanimidade foi do plenário do Tribunal Superior Eleitoral na sessão desta sexta-feira.

Baixar arquivo
Cultura

Sinal da TV Brasil chega a Feira de Santana, na Bahia

O sinal da TV pública nacional agora pode ser assistido na região pelo canal aberto, disponível para mais de 700 mil telespectadores.  

Baixar arquivo
Educação

Vestibular de 2023 da USP terá novo critério de classificação

Todos os candidatos, incluindo alunos cotistas, vão disputar primeiro as vagas de Ampla Concorrência. Já os que fizeram todo o Ensino Médio em escolas públicas também concorrem às vagas destinadas a alunos de Escolas Públicas e os candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas ainda podem disputar as vagas destinadas às cotas raciais, as chamadas PPI.

Baixar arquivo