Pesquisadores de Oxford acreditam na vacinação em larga escala ainda este ano

Covid-19

Publicado em 20/07/2020 - 20:36 Por Victor Ribeiro - Brasília

Os primeiros testes da vacina contra a Covid-19 foram bem sucedidos e a universidade inglesa de Oxford, que coordena a pesquisa, prevê a produção de, pelo menos, um milhão de doses até o mês de setembro. A expectativa dos pesquisadores é que a imunização em grande escala seja possível até o fim do ano.


De acordo com um artigo publicado na revista médica Lancet, a vacina experimental do laboratório AstraZeneca se mostrou segura. Não apresentou nenhum efeito colateral grave e provocou respostas imunes com anticorpos e células T. O resultado levou em consideração os testes feitos com voluntários em diferentes países, entre eles o Brasil. Por aqui, o estudo é feito pela Universidade Federal de São Paulo, e está na fase 3 de estudos clínicos. É a última etapa antes do registro.


Se essa vacina tiver autorização para ser produzida no Brasil, ela será fabricada por outra instituição pública, a Fundação Oswaldo Cruz. O laboratório já informou que não busca lucrar com a imunização durante a pandemia. Até agora, a vacina provocou efeitos colaterais leves, normalmente amenizados com paracetamol.

 

Os pesquisadores de Oxford ainda precisam descobrir quanto tempo dura a imunização. Além disso, a farmacêutica AstraZeneca considera mais provável que a imunização seja feita com duas doses altas da vacina e não com uma dose única. Só num segundo momento eles devem testar dose única ou duas doses baixas.


A vacina contra Covid-19 pesquisada pela Universidade de Oxford é uma das cerca de 100 que estão em teste ao redor do mundo. Mas os cientistas fazem uma ressalva. Todas elas ainda estão em fase experimental e ainda é muito necessário manter ao máximo o afastamento social e, se for sair de casa, usar máscara e manter as mãos limpas o tempo todo. A vida só deve voltar ao normal quando pelo menos 70% das pessoas estiverem imunizadas.

 

E o Ministério da Saúde atualizou o balanço da pandemia no país. E o Brasil ultrapassou a marca de 80 mil mortes pela Covid-19. Com 632 notificações nessa segunda-feira, o Brasil tem hoje 80.120 vítimas da doença. Também nessa segunda (20), foram notificados 20.257 novos casos confirmados, o que aumentou para dois milhões 118 mil o número de infectados pelo coronavírus.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Economia

Confiança do consumidor recua 6,5 pontos em setembro, diz FGV

Com isso, o indicador atingiu 75,3 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o menor patamar desde abril deste ano.

Baixar arquivo
Saúde

TJSP vai exigir comprovante de vacinação contra a covid-19

O público vai ter de apresentar o cartão contendo a aplicação de pelo menos uma dose de uma das vacinas aprovadas pela Anvisa. Pode ser o cartão impresso ou digital.

Baixar arquivo
Educação

Enem: terminam hoje (24) inscrições para pessoas privadas de liberdade

Os interessados devem ser inscritos pelo responsável pedagógico até as 23h59. Também podem participar desta modalidade os adolescentes sob medidas socioeducativas que inclua a privação de liberdade.

Baixar arquivo
Saúde

Fiocruz vai entregar nova remessa de vacinas contra covid nesta sexta

O carregamento, somado aos lotes liberados nesta semana, alcança um total de 4,6 milhões de doses.

Baixar arquivo
Esportes

Confira os resultados de quinta-feira (23) no futebol

Na Série B do Campeonato Brasileiro, o CSA derrotou o Botafogo por 2 a 0. Na Copa Sul-Americana, o Athletico Paranaense foi até o Uruguai e venceu o Peñarol  por 2 a 1 na primeira partida das semifinais.

Baixar arquivo
Saúde

Pesquisadores descobrem vírus parecido com o da covid-19 em morcegos

Ele foi descoberto justamente durante uma pesquisa para tentar desvendar a origem do Sars-Cov-2, que se transformou na pior pandemia dos últimos tempos.

Baixar arquivo