Números da Covid-19 desaceleraram no país na 2ª semana de setembro

Ao comentar dados, secretário do Ministério da Saúde preferiu cautela

Publicado em quinta-feira, 17 Setembro, 2020 - 22:18 Por Victor Ribeiro - Brasília

A pandemia de coronavírus está em desaceleração no Brasil, mas o país ainda é o terceiro em número de casos e o segundo com a maior quantidade de mortes no mundo. A conclusão é do boletim epidemiológico semanal do Ministério da Saúde, com dados do dia 6 a 12 de setembro.

Nesta semana analisada, o Brasil teve 192.687 novos diagnósticos para a Covid-19, queda de 30% em relação à semana anterior. Até o dia 12, o país tinha 4.382.263 casos confirmados, atrás dos Estados Unidos, com mais de 6,5 milhões, e da Índia, com 5,1 milhões registros.

No mesmo período, o número de vidas perdidas foi 5.007, com redução de 13% na comparação com a semana anterior. No dia 12, o Brasil tinha 133.119 mortos pela doença, atrás dos Estados Unidos, com mais de 194 mil vítimas fatais.

O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Arnaldo Medeiros, participou de uma entrevista coletiva nessa quinta-feira. Ele foi cauteloso ao comentar os números e preferiu não fazer previsões para o próximo boletim.

A desaceleração da pandemia ocorreu nas cinco regiões do país. O boletim semanal mostra que o número de casos novos na semana de 6 a 12 de setembro ficou estável no Distrito Federal e em três estados: Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Piauí. Todos os outros estados registraram redução.

Já a quantidade de mortes naquela semana ficou estável no Rio Grande do Sul e aumentou em cinco estados: Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Roraima e Sergipe. Nos demais estados e no Distrito Federal, houve redução do número de mortes na comparação com a semana anterior.

O boletim mostrou que, desde o começo da pandemia, 307 mil profissionais de saúde testaram positivo e 289 deles morreram no país por causa da Covid-19. Entre eles, 97 técnicos ou auxiliares de enfermagem, 58 médicos e 36 enfermeiros.

O secretário Arnaldo Medeiros destacou a importância dos profissionais que fazem do Sistema Único de Saúde brasileiro uma referência mundial.

Nessa quinta-feira, o país teve 36.303 novos casos da Covid-19 e 829 mortes causadas pela doença. Ao todo, 4,455 milhões pessoas tiveram diagnóstico positivo e 134.935 perderam a luta contra o coronavírus.

Edição: Sumaia Villela

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

Governo do DF recorre de decisão judicial sobre volta às aulas

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal recorreu da decisão da Justiça, de ter que reabrir escolas públicas já em novembro desse ano.

Baixar arquivo
Economia

A um mês da Black Friday, comércio aposta em aumento de 3% este ano

Para a Fecomercio, mesmo nesse ano atípico, o crescimento no mês de novembro pode ser de 3% em relação ao mesmo período do ano passado, puxado pelas promoções da Black Friday.

Baixar arquivo
Saúde

Campanha de vacinação contra pólio só atingiu 35% das crianças

A menos de uma semana para terminar a campanha de vacinação contra a poliomielite, mais de sete milhões de crianças ainda não foram imunizadas.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Campanha contra o trabalho infantil é lançada no Rio de Janeiro

Uma campanha contra o trabalho infantil foi lançada nesta terça-feira (27) durante encontro virtual, que reuniu representantes de diversas entidades dedicadas à luta em defesa dos diretos das crianças e adolescentes.

Baixar arquivo
Segurança

Número de desaparecidos no Brasil em 2019 ultrapassou os 79 mil

Anuário Brasileiro de Segurança Pública faz o levantamento desde 2017. O número é 65% maior que o de assassinatos. No ano passado, a cada dia, 217 pessoas desapareceram no país e 130 foram assassinadas.

Baixar arquivo
Cultura

Hoje é dia de cantar parabéns pelos 85 anos de Mauricio de Sousa

Comemorando mais de oito décadas de vida, com pelo menos seis delas dedicadas às histórias em quadrinhos, ele conta qual é o maior presente que recebe sempre que anda por aí. É quando vai a feiras de livros e a maioria de seus leitores diz assim: eu aprendi a ler com a Turma da Mônica

Baixar arquivo