Biópsias para detectar câncer de pele caíram 48% na pandemia

No Dezembro Laranja, dermatologistas alertam para importância de exame

Publicado em quarta-feira, 2 Dezembro, 2020 - 20:44 Por Gésio Passos - Brasília

Com a pandemia da Covid-19, a população deixou de buscar consultas médicas de forma geral. Com isso, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a SBD, houve uma queda de 48% no número de biópsias para detecção do câncer de pele. Os dados são relativos apenas aos atendimentos do SUS.

A SBD reforça que cabe aos gestores de saúde se planejarem para solucionar esse problema, já que a tendência é um acúmulo de atendimento na rede pública nos próximos meses.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o câncer de pele corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país, com mais de 170 mil casos novos por ano. Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia lança o dezembro laranja, campanha contra o câncer de pele.

Suely Caron, artista plástica, explica como descobriu a doença.

Já a aposentada Carmen Lúcia Ramalho fala que faz exames de rotina anuais para verificar marcas na pele.

O médico Elimar Gomes, coordenador nacional do Dezembro Laranja, explica como funciona a regra do ABCDE, um autoexame da pele, com forma de diferenciar pintas e lesões comuns daquelas suspeitas de melanoma, o tipo de câncer de pele mais agressivo.

O médico reforça que este tipo de câncer está diretamente relacionado aos efeitos da radiação ultravioleta na pele.

Por isso, é preciso reforçar os cuidados com o sol: evitar exposição ao sol entre 9h 15h, além de sempre utilizar protetor solar com fator de proteção maior de 30. Para bebês abaixo dos 6 meses, não é recomendado o uso de protetor solar, e deve ser evitada a exposição deles ao sol.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Esportes

Líder da série A do Brasileiro, São Paulo vive momento de pressão

Tricolor perdeu as últimas duas partidas e viu rivais se aproximarem. A ausência de jogadores importantes nos tropeços, como o atacante Luciano, colocaram dúvidas sobre o elenco tricolor. E, no próximo jogo, contra o Athletico-PR, no domingo (17), o jogador continua fora, por causa de inflamação no joelho. Na zaga, Bruno Alves volta após cumprir suspensão.

Baixar arquivo
Saúde

Anemia em crianças com menos de 5 anos caiu pela metade em 13 anos

O Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil, Enani, foi realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro a pedido do Ministério da Saúde. A doença recuou de 20,9% em 2006 para 10% em 2019. Segundo a pesquisa, a anemia é mais comum em bebês de seis a 23 meses de vida.

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Alunas da USP criam app para auxiliar na alfabetização de adultos

O programa ainda não está disponível para uso, mas a iniciativa das estudantes do curso de Ciências Matemáticas e de Computação já venceu uma competição acadêmica nos Estados Unidos. O aplicativo é voltado principalmente para adultos que já conseguem ler algumas palavras e sentenças curtas, mas que são incapazes de compreender livros ou textos mais longos.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Operação busca informações sobre garotos desaparecidos no Rio

Há 19 dias, investigações seguem sem pistas. Os garotos de 8, 10 e 11 anos desapareceram dia 27 de dezembro em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Baixar arquivo
Justiça

Lewandowski dá 48h para governo federal enviar plano contra caos no AM

O ministro do STF determinou que o planejamento contenha ações, cronogramas, parcerias correspondentes e recursos financeiros para resolver o problema da falta de oxigênio em hospitais do Amazonas e o colapso da Saúde no estado por causa da alta de casos de Covid-19.

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Pesquisa com saliva de pacientes quer desvendar ação do coronavírus

Estudo é conduzido por pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Unigranrio.

Baixar arquivo