Justiça mantém fechamento de comércio no Distrito Federal

Estados do Norte e Nordeste seguem com restrições devido à pandemia

Publicado em 31/03/2021 - 14:51 Por Leandro Martins - Brasília

A partir desta quinta-feira (31), o comércio vai fechar no Distrito Federal. A decisão é da desembargadora Katia Ferreira, da Justiça Federal. Ela tomou a medida ao analisar a ocupação de UTIs públicas para covid, que superou os 95%. Já a lista de espera de leito está com mais de 270 pacientes.

Com isso, voltam a fechar bares, restaurantes e outros estabelecimentos. Esses comércios e serviços tinham reaberto na última segunda-feira (29), depois de um mês de restrições. Devem seguir fechados os clubes recreativos, áreas comuns de condomínios residenciais, atendimento ao público em shoppings centers, feiras populares, salões de beleza, quiosques, food trucks e comércio ambulante em geral. Só podem funcionar os supermercados, mercearias, padarias e afins, além dos serviços essenciais. O governo do Distrito Federal disse que vai recorrer da medida.

Em Alagoas, o governador Renan Filho anunciou que vai manter todos os municípios do estado na fase vermelha, com as mesmas regras já em vigor, inclusive só com a circulação de pessoas entre as 21h e 5h. A medida começou a valer nesta quarta-feira, e vai se estender por 14 dias.

Renan Filho falou sobre a medida, que pode durar menos que o previsto, mas a população tem que colaborar:

No Amazonas, donos de restaurantes se reuniram nesta quarta-feira com o governador Wilson Lima. Eles argumentam que os índices da covid na capital Manaus estão reduzindo, e que o setor quer voltar a funcionar normalmente. Jean Fabrízio, presidente em exercício da Associação de Bares e Restaurantes, relata que algumas demandas foram atendidas. 

E no Amapá, um pacote reúne medidas sociais e tributárias para recuperação da economia no estado, anunciadas pelo governador Waldez Goes. Entre elas, está a antecipação do 13º salário dos servidores públicos estaduais. Também haverá redução do ICMS para bares, restaurantes e similares, de 18% para 2%. Também foi reduzido o imposto para o diesel, que caiu de 25% para 17%.

 

 

 

Edição: Leila Santos/Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Saúde

MG: mineração impacta na saúde respiratória das pessoas em 22 cidades

Alterações na paisagem geradas pela mineração impactam na saúde respiratória das pessoas em uma das maiores províncias mineradoras do mundo: o Quadrilátero Ferrífero, que engloba 22 municípios de Minas Gerais. A conclusão é do estudo feito pela UFMG.

Baixar arquivo
Política

Câmara aprova projeto de lei que suspende despejo até o fim do ano

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (18) um projeto de lei (PL) que proíbe o despejo ou a desocupação de imóveis até o fim deste ano. O projeto segue para o Senado.

Baixar arquivo
Geral

Governo lança programa para facilitar transporte de cargas

presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que cria o programa e mais um decreto e duas medidas provisórias com as ações que fazem parte do Gigantes do Asfalto.

Baixar arquivo
Cultura

Perto dos 90 anos, Zuenir Ventura estreia série Depoimentos Cariocas

Vídeos sobre a memória da cidade do Rio de Janeiro, por meio do olhar de quem já contou tantas histórias sobre ela, são o tema da série “Depoimentos Cariocas”.

Baixar arquivo
Saúde

SP: motoristas e cobradores de ônibus começam a ser vacinados

Motoristas e cobradores de ônibus municipais e intermunicipais do estado de São Paulo começaram a ser vacinados nesta terça-feira. Vão receber a vacina as pessoas com mais de 47 anos, e a previsão é imunizar 165 mil trabalhadores.

Baixar arquivo
Saúde

Câmara discute autorização do cultivo da maconha para uso medicinal

Agressão e bate-boca marcaram a discussão na Câmara dos Deputados sobre o projeto de lei que autoriza o cultivo da maconha para fins medicinais e a votação da medida foi adiada.

Baixar arquivo