Estudo revela impacto da pandemia em favelas do Rio de Janeiro

Publicado em 27/09/2021 - 17:42 Por Cristiane Ribeiro - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

Mais da metade, 54%, dos moradores da Cidade de Deus, na zona oeste, e dos complexos do Alemão e da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro, perderam seus empregos com a pandemia de covid-19. E dos 62% que solicitaram o auxílio emergencial oferecido pelo governo federal, somente 52% receberam. Entre os desempregados, 26,8% são negros.

Os dados, divulgados nesta segunda-feira, são da pesquisa "Coronavírus nas favelas: a desigualdade e o racismo sem máscaras", realizada pelo Coletivo Movimentos e que analisou os impactos da pandemia da covid-19 no Complexo do Alemão, Complexo da Maré e Cidade de Deus.

A operadora de telemarketing Miriam Nunes, de 21 anos, moradora do Complexo do Alemão, está entre os que ficaram desempregados e teve que se reinventar vendendo doces para sobreviver.

A pesquisa aponta que 69% dos moradores dessas comunidades presenciaram ou souberam de operações policiais nessas três favelas durante a pandemia, mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir operações policiais em favelas nesse período.

Para Thaynara Santos, coordenadora de comunicação do Coletivo Movimentos, os relatos revelam o descaso do poder público para com os moradores de favelas e periferias das grandes cidades.

A Polícia Militar informou que as operações realizadas pela corporação estão alinhadas à decisão do STF e que são previamente comunicadas ao Ministério Público do estado e podem ser acompanhadas em tempo real pelos promotores. E destaca que o trabalho tem sido decisivo para a redução contínua dos indicadores criminais.

A pesquisa mostra, ainda, que 63% dos moradores dessas comunidades ficaram sem água no período mais crítico da pandemia. A Cedae informou que no ano passado instalou mais de 30 sistemas alternativos de abastecimento em 27 comunidades cariocas, inclusive na Maré e na Cidade de Deus e que atualmente o abastecimento está normalizado nas regiões onde foi feita a pesquisa.

Os pesquisadores ouviram 955 pessoas entre setembro e outubro do ano passado. Entre os entrevistados, 93% disseram conhecer alguém que teve covid-19 e 73% souberam de alguém que morreu da doença.

Edição: Nádia Faggiani / GT Passos

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Política

Brasil participa do G20 que vai tratar de assuntos como saúde global

O G20 se encontra nos dias 30 e 31, em Roma, na Itália. O Brasil vai tratar como prioridades temas nas áreas da saúde, tecnologia, produção de energia e meio ambiente.

Baixar arquivo
Esportes

Atletas paralímpicos são homenageados no Rio

Dezessete atletas paralímpicos, que nasceram ou treinam no Rio,  receberam homenagem , nesta sexta-feira, pela participação nos Jogos de Tóquio.

Baixar arquivo
Política

Bolsonaro afirma que tem absoluta confiança em Paulo Guedes

O presidente Jair Bolsonaro disse nessa sexta-feira que seu governo não fará nenhuma aventura na economia e afirmou que tem absoluta confiança no ministro, Paulo Guedes.

Baixar arquivo
Economia

Municípios do RJ investiram apenas 2,7% do orçamento, afirma Firjan

O resultado é de um estudo da Firjan, Federação das Indústrias do Estado, que analisou dados de mais de 5.200 cidades brasileiras.

Baixar arquivo
Esportes

Rio é escolhido como principal viagem esportiva da América do Sul

O anúncio foi feito, em Londres, pelo World Travel Awards, iniciativa global que reconhece a excelência em viagens e turismo mundo afora.

Baixar arquivo
Saúde

Conitec recomenda consulta pública sobre tratamento de covid-19

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, do Ministério da Saúde, recomendou hoje (21) o encaminhamento para consulta pública das diretrizes sobre os medicamentos para tratamento de covid-19. A reunião extraordinária da Conitec ocorreu na manhã desta quinta-feira e durou cerca de cinco horas.

Baixar arquivo