INCA alerta para perigos do consumo coletivo de narguilés na pandemia

Publicado em 26/10/2021 - 20:01 Por Eliane Gonçalves - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

A reabertura do comércio e com eles, bares, restaurantes e tabacarias, acendeu o sinal de alerta do INCA, o Instituto Nacional de Câncer. O receio é de que com a retomada, volte a crescer o consumo de tabaco pelo narguilé.

A tradição que vem do mediterrâneo de fumar por meio de mangueiras ligadas a um recipiente de água tem ganhado adeptos no país. Principalmente entre os mais jovens, pessoas entre 15 e 24 anos, como o cientista político João Victor Aguiar, de 24, que optou pelo Narguilé e cigarros eletrônicos por acreditar que eles fazem menos mal à saúde.

Usar a água como filtro para o tabaco pode até parecer um uso menos arriscado que o cigarro comum. Mas não é. Uma sessão de narguilé, que costuma durar entre 1hora a 90 minutos, equivale ao consumo de 100 cigarros comuns.

Os danos não acabam aí. Como a prática é coletiva, o narguilé também aumenta o risco de infecções por vírus e bactérias, o que inclui o coronavírus, como explica a chefe de Divisão de Controle de Tabagismo do INCA, Andrea Reis. Andrea lembra que não existem formas seguras de consumo do tabaco e que a ideia de que existem alternativas que reduzem danos, como o Narguilé ou o cigarro eletrônico, é uma estratégia da indústria tabagista para não perder mercado.

Um estudo publicado em 2020 pelo Instituto de Efetividade Clínica e Sanitária mostra que no Brasil as doenças causadas pelo tabagismo custam cerca de R$ 125 bilhões por ano. Já o total de impostos arrecadados da indústria fica em torno de 10% do total de gastos, cerca de R$ 13 bilhões por ano.

A Anvisa lembra que os cigarros eletrônicos, conhecidos como Vapers, tem uso proibido no Brasil.

O uso do narguilé está submetido às mesmas regras do cigarro comum. Ou seja, o tabaco tem que estar registrado na Anvisa e trazer os mesmos alertas válidos para o cigarro. A venda para menores de idade é proibida e o produto não pode ser usado em espaços fechados.

Segundo o IBGE, em 2019, cerca de 12,8% dos brasileiros eram fumantes. O número corresponde a cerca de 21 milhões de pessoas. Desse total, 2,5 milhões eram usuários do narguilé.

 

Edição: Roberto Piza / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Saúde

Rio vai receber mais 160 mil doses da vacina contra a gripe

O Ministério da Saúde confirmou nesta quarta-feira a entrega doses da vacina até o final desta semana.

Baixar arquivo
Geral

Rio de Janeiro permanece em estágio de mobilização devido à chuva

O estágio, que indica risco de ocorrências de alto impacto, foi acionado ontem, quando uma forte chuva atingiu a cidade, causando alagamento em vários bairros.

Baixar arquivo
Economia

Vendas do comércio varejista ficam estáveis em outubro

O segmento de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos também ficou estável.

Baixar arquivo
Política

Parte da PEC dos Precatórios será promulgada nesta quarta

Promulgação é apenas dos pontos que já foram analisados pela Câmara e pelo Senado, como mudança no cálculo do teto de gastos para permitir o pagamento do Auxílio, o parcelamento dos precatórios e a questão de parcelamento de débitos previdenciários dos municípios.

Baixar arquivo
Educação

Governo cria o Internet Brasil, com internet gratuita para estudantes

Presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória criando o programa, que vai oferecer internet em banda larga móvel, de graça, para alunos da educação básica da rede pública, e que venham de famílias inscritas no CAD Único.

Baixar arquivo
Economia

Auxílio Brasil no valor de R$ 400 começa a ser pago na sexta

Os primeiros a receber o benefício no novo valor são os que tem NIS com final 1; o pagamento segue em sequência, até para quem tem NIS final zero, que receberá o pagamento em 23 de dezembro. 

Baixar arquivo