Segurança nos Jogos Olímpicos será feita por 26 mil homens

Desse total, 5 mil são da Força Nacional e 21 mil, das Forças Armadas.

Publicado em 05/07/2016 - 15:21 Por Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, fala à imprensa depois de reunião para discutir os Jogos Olímpicos 2016 (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Forças Armadas poderão cobrir qualquer deficiência no número de homens previstos para a Força Nacional, que atuará  na  segurança dos  Jogos  Olímpicos, diz o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha Antonio Cruz/Agência Brasil

A um mês do início dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a estimativa é que a segurança do evento conte com 5 mil homens da Força Nacional de Segurança Pública  e cerca de 21 mil das Forças Armadas. A previsão foi divulgada hoje (5), após reunião sobre a Olimpíada, no Palácio do Planalto.

A previsão de contingente de militares da Força Nacional de Segurança é inferior ao total de 9,6 mil homens que foi divulgado anteriormente no planejamento da segurança. De acordo com o titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Celso Perioli, foi feita uma adequação na escala de trabalho dos militares para que a segurança não fique comprometida.

“Tem uma medida provisória que o ministro [da Justiça, Alexandre de Moraes] está fazendo para alocação de pessoas na reserva para ver se conseguimos chegar a um número maior, mas, neste momento, o número que adequamos para este início da Olimpíada é de 5 mil homens”, disse o secretário nacional de Segurança Pública Perioli.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que era previsto um número maior de homens, porém, com escala de folgas maior e que isso foi adequado. “Era previsto um número maior com escala e folga maior – se tivéssemos 9 mil homens, com folga de 3 dias por 1 de trabalho, era o mesmo que ter 6 mil homens”, disse.

De acordo com Padilha, as Forças Armadas poderão cobrir qualquer deficiência no número de homens previstos para a Força Nacional.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, lembrou que, inicialmente, estava prevista a atuação de 18 mil homens da Forças Armadas, mas, após solicitação do governo do Rio de Janeiro, esse número foi ampliado para cerca de 21 mil militares.

Eliseu Padilha acrescentou que as reuniões de planejamento e monitoramento da Olimpíada terão, a partir de agora, periodicidade semanal. No início, os encontros de trabalho eram mensais e depois passaram a quinzenais.

Hoje, a Força Nacional de Segurança assumiu o controle da vigilância e policiamento das áreas de competição dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias