Últimas notícias Déficit público

Brasília - O Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira,fala sobre a Reunião da Camex.​(Antonio Cruz/Agência Brasil)
Economia

Ministro do Planejamento prevê um 2018 muito melhor para a economia

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, prevê o ano de 2018 muito melhor para a economia brasileira do que 2017 e 2016. Segundo ele, este ano será o primeiro de uma sequência de oito a 12 anos de crescimento. "Em 2017, a gente começou a sair do fundo do poço, e 2018 é o ano da retomada do crescimento, o que já está em grande medida contratado. Mas o nó desse processo é a questão das contas públicas", disse.

Economia

Orçamento será enviado com déficit original caso Congresso não aprove nova meta

Previsto por lei para ser enviado ao Congresso Nacional até quinta-feira (31), o Orçamento Geral da União para 2018 será elaborado com a meta original de déficit primário de R$ 129 bilhões, caso o Congresso não aprove a mudança da meta ainda esta semana. Segundo a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, o governo pode enviar uma proposta com os parâmetros originais da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e fazer os ajustes assim que os parlamentares aprovarem a nova meta de déficit de R$ 159 bilhões para o próximo ano.

Economia

Teto de gastos subirá R$ 7 bilhões com mudança no registro de despesas do Fies

O teto de gastos federais para 2017 subirá R$ 7 bilhões por causa de uma mudança na forma de registrar despesas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

economia ilustração 2
Economia

Mercado financeiro aumenta projeção de déficit nas contas públicas este ano

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda aumentaram a previsão do déficit primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central), neste ano, de R$ 142,051 bilhões para R$ 145,268 bilhões, valor acima da meta do governo de défi

dinheiro
Economia

Sem corte de gastos, déficit público pode ser de R$ 182 bi, estima Senado

Relatório apresentado hoje (6) pela Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão do Senado que acompanha o desempenho fiscal e orçamentário do país, estima que o setor público consolidado registrará déficit primário de R$ 182 bilhões neste ano, caso não faça um corte de gastos