Você está aqui

Tom Jobim ganha estátua de bronze na Praia de Ipanema

  • 08/12/2014 13h38publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Da Agência Brasil

20 anos após sua morte, o compositor e maestro Antônio Carlos Jobim ganha uma estátua, de autoria da artista plástica Christina Motta, na Praia de Ipanema (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

                               Compositor  e  maestro,  Tom  Jobim  ganhou,  20  anos  após  sua  morte,  uma

                                estátua   de  bronze  na  Praia  de  Ipanema             Tânia  Rêgo/Agência  Brasil

Uma estátua de bronze em homenagem ao maestro e compositor Antonio Carlos Jobim foi inaugurada hoje (8), na orla da Praia de Ipanema, na altura do Arpoador, zona sul do Rio de Janeiro. O evento contou com a presença de amigos, parentes de Tom Jobim, além de autoridades e da escultora da obra, Christina Motta. A cerimônia ocorreu no mesmo dia em que o músico morreu, há 20 anos.

A artista plástica Christina Motta informou que recebeu da prefeitura liberdade para escolher o formato da estátua. “Escolhi uma época em que Tom estava no auge e se tornou conhecido em todo o mundo. Então, me baseei em uma foto dele na inauguração de Brasília, em 1961, em que ele estava andando com o violão nas costas, ao lado de Vinícius [de Moraes] no cerrado”, disse a escultora.

Christina salientou que não colocou o maestro de frente para a praia porque a posição seria muito óbvia. “Na instalação de uma escultura, é muito importante o pano de fundo. Queria muito que ele tivesse o mar e o céu atrás. Também penso que, nessa posição, é como se já tivesse tocado seu violão e estivesse indo para casa”, explicou.

Viúva de Tom, Ana Jobim se disse feliz com o tributo. “Uma homenagem é sempre bem-vinda. Esta, em especial, é muito carinhosa, Tom era um menino de Ipanema e costumava vir aqui [Arpoador] para pescar. A estátua ficou muito bonita. Fico feliz que, no dia da inauguração, tenha feito um manhã linda de céu azul", comentou.

Para o jornalista Sérgio Cabral, Tom Jobim era um exemplo do carioca da zona sul. “Ele adorava o lugar, embora fosse um 'cara' internacional. Já morou nos Estados Unidos, onde o visitei, mas o lugar de que realmente gostava era Ipanema”.

20 anos após sua morte, o compositor e maestro Antônio Carlos Jobim ganha uma estátua, de autoria da artista plástica Christina Motta, na Praia de Ipanema (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Perssonalidades como Sérgio Cabral prestigiaram a cerminônia de inauguração da estátua de Tom Jobim Tânia Rêgo/Agência Brasil

A gaúcha Heloísa Bergamin, moradora do Rio há dez anos, ressaltou que a homenagem faz jus ao maestro. “Tom é um referencial brasileiro da música. Além disso, não poderiam escolher lugar melhor para colocar a estátua, porque Ipanema era o que ele mais amava e o que mais cantava.”

Carioca, Ili Melcher destacou que a estátua deve se tornar mais um ponto turístico da cidade. “Nós, cariocas, assim como os estrangeiros, adoraremos tirar foto com a estátua do Tom nessa paisagem linda. Achei a homenagem sensacional”, disse ele.

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim era compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista. A revista norete-americana Rolling Stone considerou  Tom Jobim o maior expoente de todos os tempos da música popular brasileira.

Foi também um dos criadores e principais forças da bossa nova, além de autor de músicas como Garota de Ipanema e Samba do avião, que se tornaram símbolos do Rio de Janeiro, ganharam reconhecimento e foram regravadas por músicos de todo mundo. Competindo com os Beatles, os Rolling Stones e o cantor Elvis Presley, Tom Jobim ganhou, em 1964, o Grammy de Música do Ano com Garota de Ipanema.

O compositor e maestro morreu em 8 de dezembro de 1994, com 67 anos, em Nova York, vítima de uma parada cardíaca, enquanto lutava contra um câncer.

Edição: Armando Cardoso