Você está aqui

Sofrimento de crianças na Síria atingiu o "fundo do poço", alerta Unicef

  • 13/03/2017 12h48publicação
  • Nova York (EUA)localização
Da ONU News

Crianças sírias perto de um abrigo para pessoas deslocadas

Crianças sírias perto de um abrigo para pessoas deslocadas Foto: Al-Issa/Unicef/ONU 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou que o sofrimento das crianças atingiu o "fundo do poço" na Síria. Um relatório da agência da ONU divulgado nesta segunda-feira (13) faz uma avaliação "sombria" do impacto da violência sobre as crianças sírias, no momento em que a guerra no país acaba de completar seis anos. As informações são da ONU News.

Segundo o Unicef, quase 6 milhões de crianças dependem agora de ajuda humanitária, 12 vezes mais do que em 2012, quando a guerra fez um ano. Cerca de metade desse total de crianças vive em regiões de difícil acesso. E o número de menores refugiados que estão na Turquia, Líbano, Jordânia, Egito e Iraque passa de 2,3 milhões.

O documento mostra que os assassinatos, mutilações e recrutamentos de crianças aumentaram muito no ano passado, quando, segundo o Unicef, pelo menos 652 crianças foram mortas, 20% a mais do que em 2015, e grande parte dessas mortes ocorreu dentro ou perto de uma escola.

Crianças soldados

Além disso, o número de menores recrutados para lutar no conflito mais do que dobrou nos últimos dois anos. O relatório cita que esses menores estão sendo usados também como carrascos, terroristas suicidas e guardas de prisão.Além disso, foram registrados pelo menos 338 ataques a hospitais e trabalhadores do setor de saúde, quase um por dia.

O Unicef pediu a todas as partes envolvidas no conflito, aos que têm influência sobre esses grupos e à comunidade internacional, que ajudem a chegar a uma solução política para acabar com a guerra. A agência da ONU quer também o fim das violações e abusos cometidos contra crianças, a suspensão de todas as áreas cercadas e livre acesso a todos os menores no país.

O Fundo para a Infância pediu ainda apoio para os governos que estão abrigando os refugiados e financiamento para cobrir as operações de ajuda às crianças.