Você está aqui

Governo estima contração de 2,9% na economia este ano

  • 19/02/2016 15h18publicação
  • 19/02/2016 18h24atualização
  • Brasílialocalização
Wellton Máximo, Daniel Lima e Mariana Branco – Repórteres da Agência Brasil

Pouco mais de um mês após a sanção do Orçamento-Geral da União, o governo voltou a diminuir a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) para este ano. Segundo números divulgados há pouco pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a estimativa de contração da economia passou de 1,9% para 2,9% em 2016. O Produto Interno Bruto (PIB) nominal estimado é de R$ 6,194 trilhões.

A estimativa aproxima-se das previsões do mercado financeiro. Segundo a edição mais recente do boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central com instituições financeiras, o mercado prevê queda de 3,33% do PIB em 2016.

O governo aumentou para 7,10% a previsão de inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2016. A estimativa anterior, que constava do Orçamento original, era de 6,47%, também pelo IPCA.

A projeção para o IPCA também está mais otimista que as estimativas do mercado. A última edição do Banco Central estimava inflação oficial de 7,72% neste ano. O salário mínimo utilizado no cálculo é o que já está em vigor, de R$ 880, desde janeiro.

* Matéria atualizada às 18h19 para correção de dados. A contração da economia passou de 1,9% para 2,9%, e não 3,7% para 2,9%, conforma informado anteriormente. O governo aumentou para 7,1% a previsão de inflação, e não reduziu. A estimativa original do Orçamento era 6,47%, e não 10,6%.

Edição: Nádia Franco