Você está aqui

Indústrias paulistas demitem 27 mil em dois meses

  • 16/03/2016 12h09publicação
  • São Paulolocalização
Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil

Indústrias

Nos últimos 12 meses, a queda no nível de emprego na indústria paulista foi de 8,27% Arquivo/Agência Brasil


O nível de emprego na indústria paulista registrou variação negativa em 0,53% de janeiro para fevereiro. Somente em fevereiro, registrou-se o fechamento de 12 mil postos de trabalho. Nos dois primeiros meses deste ano, foram 27 mil empregos a menos, segundo a Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, divulgada hoje (16) pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

“É um começo de ano bem ruim”, diz o economista titular do Depecon, Paulo Francini, que também destacou que o mês “consegue ser o pior” entre os meses de fevereiro da série.

Nos últimos 12 meses, a queda no nível de emprego na indústria paulista foi de 8,27% e, na comparação com o mesmo período do ano passado, houve queda de 10,18%. Neste período, foram demitidos 257,5 mil empregados na indústria paulista. Esta é a 53ª queda seguida do indicador e a pior taxa de sua série histórica nesta base de comparação: pela primeira vez a queda interanual do nível de emprego na indústria ultrapassa os 10%.

Estabilidade

Dos 22 setores em que se divide a pesquisa, 17 tiveram queda no nível de emprego, três apresentaram crescimento, e dois, estabilidade. O setor de produtos alimentícios criou 4.287 vagas, o maior saldo positivo. Contribuiu para isso o segmento de açúcar e álcool, que não contratava desde junho de 2015 e admitiu 3.578 trabalhadores em fevereiro.

Também contrataram o setor de couro e calçados (1.099 vagas a mais), no segundo mês consecutivo de alta, e coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (626 trabalhadores). A perda mais elevada foi em metalurgia (-4.502 vagas, variação negativa de 7,5%).

Das 36 regiões paulistas consultadas, 26 (72% do total) registraram baixas no emprego. As que mais demitiram foram Cubatão (-11,11%), Santa Bárbara D’Oeste (-4,45%) e Santo André (-2,39%). Sete regiões contrataram (com destaque para Jaú, com 2,59%, São Carlos, 2,42%, e Franca, 2,22%), e três ficaram estáveis.

Edição: Kleber Sampaio