Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Aneel aprova reajuste de tarifa de energia para o interior de São Paulo e do Rio

Publicado em 13/03/2018 - 18:20

Por Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil Brasília

Brasília - O consumo de energia elétrica fechou os primeiros três meses do ano com queda acumulada de 4,2% em relação ao mesmo período do ano passado (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

As concessionárias da CPFL atendem cerca de 444 mil unidades consumidoras no inerior de São Paulo Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (13) o reajuste das tarifas de energia da Enel Rio e de cinco distribuidoras de eletricidade controladas pelo grupo CPFL Energia que atuam no interior de São Paulo.

Em São Paulo, o reajuste começará a ser cobrados a partir do dia 22 de março. As concessionárias da CPFL atendem cerca de 444 mil unidades consumidoras. O maior aumento será na CPFL Jaguari, cujo reajuste médio ficou em 21,15%. Em seguida vem a CPFL Sul Paulista, onde o reajuste médio será de 7,5%.

Já a CPFL Leste Paulista terá um reajuste de 7,03%. A alta da CPFL Santa Cruz será de 5,3% e, finalizando, na CPFL Mococa o aumento será de 3,4%.

A Aneel disse que ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, "considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais", disse a Aneel.

Rio de Janeiro

Já a Enel Rio atende 2,6 milhões de unidades consumidoras em 66 municípios do estado do Rio de Janeiro e o reajuste entra em vigor no próxima quinta-feira (15). O aumento médio para os consumidores residenciais será de 21,44% e para os consumidores cativos de alta e baixa tensão o aumento médio será de 21,04%.

Mais cedo a Aneel havia aprovado o aumento nas tarifas de energia da Light, outra concessionária que também atende no estado. Com a decisão, as tarifas dos consumidores residenciais atendidos pela empresa terão aumento de 9,35%.

Já os consumidores cativos de baixa e média tensão terão reajuste médio de 10,36%. A empresa atende 3,9 milhões de unidades consumidoras localizadas na capital e em 31 municípios do Rio de Janeiro.

Matéria ampliada às 18h30

Edição: Denise Griesinger

Últimas