Você está aqui

Olimpíada de astronomia entrega mais de 42,5 mil medalhas em 2014

  • 12/09/2014 13h31publicação
  • Brasílialocalização
Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil

A Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) vai distribuiu este ano mais de 42,5 mil medalhas a alunos de todo o país. O número de premiados é 26% maior do que em 2013. Foram distribuídas 10.412 medalhas de ouro, 14.451 de prata e 17.693 de bronze.

Segundo o professor João Batista Garcia Canalle, do Instituto de Física da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, astrônomo e coordenador nacional da OBA, o nível dos estudantes que prestaram a prova foi muito bom e as notas de corte ficaram muito altas. “Nos preocupamos em fazer uma prova acessível a todos, mas alunos que fazem olimpíadas por ano seguidos têm melhor desempenho e escolas que participam há mais tempo favorecem a obtenção de notas mais altas”, disse.

Canalle explicou que o objetivo principal da OBA é incentivar o aluno a ampliar o conhecimento científico. Segundo ele, as escolas e os professores acabam entendendo que a prova não é para medir esse conhecimento, mas para ajudá-los na prática em sala de aula. No site da olimpíada, estão disponíveis conteúdo didático e instruções simples de como construir os relógios de Sol e Estelar, o planisfério celeste rotativo, a montagem e o lançamento de foguetes feitos de garrafas PET.

Nesta 17ª edição da OBA, participaram 772.257 estudantes dos ensinos fundamental e médio de quase 9 mil escolas públicas e particulares de todos os estados. A olimpíada contou também com o auxílio de mais de 62 mil professores na realização das provas nas escolas.

Realizada pela Sociedade Astronômica Brasileira em parceria com a Agência Espacial Brasileira, a OBA inclui um conjunto de eventos para levar o maior número de informações sobre ciências espaciais à escola.

Paralelamente, foi realizada a oitava edição da Mostra Brasileira de Foguetes, que recebeu projetos de aproximadamente 62 mil alunos de escolas públicas e particulares, quase 10 mil a mais do que em 2013. Foram entregues cerca de 5 mil medalhas e os 500 estudantes do ensino médio que lançaram o mais longe possível os seus foguetes terão a oportunidade de participar da Jornada de Foguetes no fim de outubro, em Barra do Piraí (RJ). O evento oferecerá palestras com astrônomos, além de troféus e bolsas de iniciação científica júnior, distribuídas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Os estudantes com melhor classificação na prova também vão integrar as equipes para representar o Brasil em duas olimpíadas internacionais em 2016 e concorrer a vagas na Jornada Espacial e no Space Camp.

A Olimpíada também tem apoiado, desde 2009, os encontros regionais de Ensino de Astronomia para a atualização dos professores, o compartilhamento de práticas pedagógicas e a divulgação dessa ciência nos estados.

Para quem quer participar dos eventos, a OBA de 2015 abrirá suas inscrições para escolas não participantes a partir de janeiro.

Edição: Graça Adjuto