Você está aqui

Mídia pública ainda não é lembrada por brasileiros

  • 07/03/2014 11h01publicação
  • Brasílialocalização
Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil

Os meios de comunicação públicos ainda não são citados espontaneamente pela população. Os brasileiros não mencionam a TV Brasil nem a Rádio Nacional, por exemplo, quando perguntados qual emissora de TV ou estação de rádio mais acessam. Os dados são da Pesquisa Brasileira de Mídia, divulgada hoje pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom-PR).

De acordo com a publicação Hábitos de Consumo de Mídia pela População Brasileira, encomendada pela Secom e feita pelo Ibope Inteligência, programas da TV Brasil e emissoras de rádio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) apenas são lembrados pelos cidadãos brasileiros quando seus nomes são estimulados pelos entrevistadores.

A empresa foi criada em 2007 para fortalecer o caráter público e cidadão da mídia brasileira e é responsável pela Agência Brasil, por oito emissoras de rádio, pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Radioagência Nacional e Portal EBC. Com autonomia para definir a produção de programas, os veículos da EBC disseminam conteúdos jornalísticos, educativos, culturais e de entretenimento para levar informações de qualidade ao público.

Se o nome TV Brasil é mencionado, 37% dos entrevistados dizem conhecer a emissora. Já 62% afirmaram não conhecer a TV Brasil, nem “só de ouvir falar”. Um por cento das pessoas não respondeu à pergunta.

Foram entrevistadas 18.312 pessoas de todos os estados brasileiros e a pesquisa tem margem de erro de um ponto percentual para mais ou para menos. A pesquisa foi feita em 848 municípios brasileiros. A maioria dos entrevistados são da Região Nordeste (5.684), seguida pelo Sudeste (4.410), Norte (3.724), Sul (2.282) e Centro-Oeste (2.212).

De acordo com os dados, os moradores do Rio de Janeiro são os que mais conhecem a TV Brasil (61%). A popularidade da emissora também é considerável no Piauí (55%), Rio Grande do Norte, Amapá e Distrito Federal (cada um com 50%), quando o nome da emissora é mencionado.

Os programas mais acessados da TV Brasil são Viola, Minha Viola, Repórter Brasil Tarde, DOC TV, A Grande Música, TV e Ciência e Caminhos da Reportagem, programa semanal premiado que promove coberturas aprofundadas sobre temas da atualidade.

A população que mais acessa a emissora também é a mais escolarizada. Mais da metade (51%) dos entrevistados que conhecem a TV Brasil têm nível superior, e 29% não concluíram a 4ª série do Ensino Fundamental.

Na pesquisa espontânea, os programas de televisão durante a semana mais citados pelos entrevistados são da Rede Globo: o Jornal Nacional (35,1%) e Amor à Vida (31,6%) - a telenovela das 21h que era transmitida na época da pesquisa (setembro e outubro de 2013). Já nos fins de semana, os programas mais lembrados espontaneamente são Domingão do Faustão (22,5%) e Fantástico (21%).

As rádios Nacional e MEC são escutadas por, em média, 7,5% dos brasileiros, mas apenas quando os nomes das emissoras são citados. Isso porque dentre as mais de 20 estações de rádio mencionadas espontaneamente pelos ouvintes, nenhuma é pública. As duas mais lembradas são do Rio de Janeiro - O Dia FM 100,5 e Beat FM.

Quando os entrevistados são apresentados à lista de emissoras públicas, no entanto, a Rádio Nacional da Amazônia é a mais sintonizada: 11,1% dos usuários. A Rádio Nacional AM do Distrito Federal é acessada por 10,9% dos entrevistados, seguida da Rádio Nacional do Alto Solimões (7,8%).

De acordo com a pesquisa, os veículos impressos são os mais confiáveis. Apenas 6% dos entrevistados disseram não confiar nas notícias desses meios. Informações de blogs e redes sociais nunca são críveis para 20% dos internautas, seguida por notícias de sites (16%), revistas (10%) e TV e rádio (8% cada). Isso a despeito do pouco acesso ao meio impresso, já que 75% dos brasileiros não costumam ler jornais. Somente 6% o fazem todos os dias da semana.

A pesquisa ainda mostra que 65% dos brasileiros assistem TV todos os dias. Apenas 3% dos entrevistados afirmam nunca acessar o meio. O costume de assistir a televisão é maior entre os idosos, já que 73% das pessoas com mais de 65 anos assistem a televisão diariamente, hábito cultivado por 61% dos jovens entre 16 e 25 anos. O tempo diário que os telespectadores passam em frente ao televisor é, em média, de três horas e trinta minutos.

Edição: Denise Griesinger