Você está aqui

PM abre inquérito para apurar mortes no Morro do Fogueteiro

  • 28/07/2014 09h53publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil Edição: Valéria Aguiar
Após conflitos de domingo (20) no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, o policiamento foi reforçado por agentes de outras UPPs (Tomaz Silva/Agência Brasil)

PM abre inquérito para apurar mortes no Morro do Fogueteiro Tomaz Silva/Agência Brasil

A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) abriu um inquérito policial militar para investigar duas mortes ocorridas na tarde de sábado (26), no Morro do Fogueteiro, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Vitor Luiz Rodrigues e Rafael de Souza Azerbinato foram baleados e morreram durante ação da Unidade de Polícia Pacificadora da comunidade.

O inquérito da Polícia Militar (PM) foi aberto depois que os seis policiais envolvidos no tiroteio do Fogueteiro foram presos em flagrante, pela Polícia Civil. Durante depoimento na Delegacia da Lapa, no 5º  Distrito Policial, os seis policiais militares da UPP disseram que Vitor Luiz Rodrigues foi morto em confronto e registraram como auto de resistência (quando policiais matam em legítima defesa), apresentando, inclusive, uma pistola calibre 40 da vítima.

Depoimentos de testemunhas e avaliações da perícia no local apontaram que Vitor não estava atirando contra os policiais. Diante da suspeita de que não houve legítima defesa, os seis policiais  foram presos em flagrante por homicídio, e encaminhados para o Batalhão Especial Prisional da PM.

No tiroteio envolvendo os PMs do Fogueteiro, também morreu Rafael de Souza Azerbinato, de 23 anos, com um tiro na cabeça. Em nota divulgada pela PM no dia das mortes, os policiais só souberam que Rafael tinha sido atingido depois que moradores levaram o jovem para o Hospital Souza Aguiar.