Você está aqui

Ecorodovias vence concessão da Rio-Niterói e pedágio cairá para R$ 3,70

  • 18/03/2015 11h36publicação
  • São Paulolocalização
Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil*
Ponte Rio-Niterói - Rio de Janeiro

A partir de 1° de junho, o pedágio da Ponte Rio-Niterói para carros de passeio vai passar dos atuais R$ 5,20 para R$ 3,70Alexandre Macieira/Riotur

A Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A venceu na manhã de hoje (18) o leilão de concessão da Ponte Rio-Niterói. A companhia ofereceu deságio de 36,67%, o que significa tarifa-base de R$ 3,28. Com isso, a partir de 1º de junho deste ano o pedágio para os usuários da ponte cairá dos atuais R$ 5,20 para R$ 3,70 (veículos de passeio).

O Consórcio Nova Guanabara ficou em segundo lugar, oferecendo deságio de 35,20% – tarifa de R$ 3,39. O Consórcio Ponte, do qual faz parte a atual concessionária (CCR), ofereceu o pior lance entre os seis que disputaram a concorrência, tarifa de R$ 4,24 – deságio de 18,20%. A companhia administrou a ponte por 20 anos e o contrato vence no mês de maio.

Inaugurada em 1974, a Rio-Niterói é a 11ª maior do mundo, tem 13,2 quilômetros de extensão e 72 metros de altura. A ponte é a principal ligação da cidade do Rio de Janeiro com Niterói e o inetrior do estado.

A nova concessionária assinará um contrato para prestar serviços por 30 anos. A administradora deverá fazer investimentos estimados em R$ 1,3 bilhão. Entre as obras obrigatórias, está a construção de uma via elevada ligando a ponte à Linha Vermelha. Está prevista também ligação na Avenida Feliciano Sodré que passe sob a Praça Renascença, em Niterói.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Osorio, ao comentar o resultado da licitação para a escolha da nova concessionária que administrará a Ponte Rio-Niterói, disse que, no edital de licitação, constam investimentos nos acessos à Ponte Rio-Niterói, tanto do lado do Rio de Janeiro quanto de Niterói. Entre eles está a construção de um mergulhão de acesso direto da ponte ao centro de Niterói, que vai ter impacto positivo tanto na chegada quanto na saída ao município da Região Metropolitana do Rio.

No sentido contrário, será construída um alça de acesso à Avenida Brasil e à Linha Vermelha. A alça vai melhorar o tráfego de 40% dos motoristas que atualmente circulam pela ponte em direção às zonas norte e oeste do Rio, à Baixada Fluminense e também às rodovias Washington Luis e Presidente Dutra.

“Com a construção da alça de acesso haverá uma divisão do trânsito em direção ao Centro do Rio e [também haverá] um acesso direto da Avenida Brasil, na altura de Manguinhos, ao Caju, tirando da proximidade do Centro da Cidade um número grande de caminhões de carga, com impacto positivo para o trânsito na região”, acredita o secretário.

*Colaboraram Nielmar Oliveira e Tâmara Freire, do Rio de Janeiro//Matéria ampliada às 13h56 do dia 18/03.

 

Edição: Denise Griesinger