Você está aqui

País terá Companhia de Operações Ambientais para conter desmatamento na Amazônia

  • 11/03/2015 13h18publicação
  • Brasílialocalização
Ivan Richard - Repórter da Agência Brasil

desmatamento

Força Nacional de Segurança será usada no combate ao desmatamento ilegal na AmazôniaArquivo/Agência Brasil

Acordo assinado hoje (11) entre os ministérios do Meio Ambiente e da Justiça com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) prevê a criação e o aparelhamento da Companhia de Operações Ambientais, que usará efetivo da Força Nacional de Segurança para ações de combate ao desmatamento ilegal da Floresta Amazônica.

Ao todo, serão investidos R$ 30,6 milhões, oriundos do Fundo da Amazônia – geridos pelo BNDES –, para garantir a permanência de 200 homens da Força Nacional em pontos estratégicos da Floresta Amazônica. É a primeira vez que recursos do fundo financiarão ações de fiscalização contra o desmatamento.

Os agentes da Força Nacional farão operações de fiscalização e controle do corte ilegal de árvores da região de forma sistemática. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a ação faz parte da terceira fase do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal, que envolve 14 ministérios e é coordenado pela pasta. Iniciado em 2004, o plano é responsável pela elaboração e execução de políticas públicas voltadas para a redução do desmatamento na Amazônia.

Como resultado dessas ações, em novembro do ano passado, foi registrada a segunda menor taxa de desmatamento na região desde 1988. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, de agosto de 2013 a julho de 2014,  foram desmatados 4.848 quilômetros quadrados (km2) de área, com redução de 18% em relação aos 5.891 km2 apurados no período anterior.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em entrevista coletiva no Ministério da Justiça. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

“Toda  a  fiscalização  federal  está  em  campo, garante a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira       Marcelo  Camargo/Agência  Brasil

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que a parceria surge do esforço para equipar todos os órgãos federais que trabalham em parceria com a pasta no combate aos crimes ambientais, em especial na Amazônia. “Toda fiscalização federal está em campo. Ao longo do ano, teremos como mostrar o bom resultado dessas novas estratégias de combate aos crimes ambientais.”

Segundo o Ministério da Justiça, desde 2008, a Força Nacional de Segurança faz ações de repressão aos crimes ambientais, principalmente, desmatamento, extração e comércio ilegal de madeira na Floresta Amazônica. De acordo com a pasta da Justiça, em seis aos, foram fiscalizadas cerca de 1.200 serralherias e apreendidos mais de 1 milhão de metros cúbicos de madeira, 300 motosserras e 200 tratores.

De acordo com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o Fundo da Amazônia aprovou cerca de R$ 1 bilhão em projetos e os desembolsos passam de R$ 600 milhões. “E temos ambição de pensar em iniciativas para fazer acontecer uma redução muito mais drástica dos índices de desmatamento do país. Já conseguimos vitórias, mas precisamos dar novos passos.”

“Quando a presidenta Dilma determinou a integração do governo para o combate ao desmatamento, todos os ministérios envolvidos no comitê de gestão receberam essa determinação como uma causa que precisava ser assumida em face da gravidade do desmatamento. Temos empenhado e, agora com esses recursos, vamos ter uma Força Nacional mais bem equipada, com aparelhos, embarcações, com elevação de pessoal para um enfrentamento ainda mais agressivo”, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Edição: Valéria Aguiar