Você está aqui

Times do Brasileirão Feminino são definidos por "camisa" e pelo ranking

  • 20/01/2016 06h20publicação
  • Brasílialocalização
Gésio Passos, do Portal EBC

futebol feminino

Futebol femininoRafael Ribeiro/Divulgação CBF

Em fase de consolidação, o Brasileirão Feminino inicia hoje (20) sua quarta edição. O regulamento será o mesmo dos últimos anos, mas três equipes que disputaram a competição em 2015 não participarão este ano: Mixto (MT), Botafogo (PB) e Kindermann (SC). O Tiradentes (PI), quarto colocado do ano passado, só disputa o campeonato por causa da desistência do Náutico (PE) às vésperas da competição.

Tabela do Campeonato

Pelo regulamento do Brasileirão Feminino, as oito melhores equipes femininas no ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), as campeãs da Copa do Brasil e do Brasileirão Feminino do ano anterior têm garantida a participação na competição. As outras dez vagas são divididas para equipes de futebol masculino que disputam as séries A e B. Somente cinco clubes manifestaram interesse em participar do feminino: o América (MG), Corinthians (SP), Flamengo (RJ), Santos (SP) e Vitória (BA). As vagas restantes são também preenchida por clubes do ranking feminino. O Vasco (RJ) e a Portuguesa (SP) participarão por esse ranking.

Ausentes

Oitavo colocado no ano passado, o Botafogo da Paraíba ainda teve a chance de ser confirmado na competição. Após a desistência do Náutico, as paraibanas foram convidadas a jogar, mas se recusaram. Segundo Guilherme Novinho, presidente do clube, a equipe chegou a notificar a CBF em novembro sobre o desejo de participar da competição em 2016. Mas, como o convite só veio após o Natal, o clube não tinha condições de preparar uma equipe forte para janeiro.

“Já estávamos com a estrutura da equipe desmontada e havíamos dispensado os reforços que contratamos para o campeonato”, afirma Guilherme. A base da equipe atual é de atletas amadoras locais, que inclusive jogarão a final do campeonato estadual este mês. “Se vencermos o estadual, teremos garantida a vaga na Copa do Brasil feminina, que será no segundo semestre. Esperamos nos preparar para essa competição”, acrescenta o presidente.

Novinho critica os critérios adotados pela CBF para a definição dos participantes. “Acho que é um erro da CBF dar a vaga para equipes sem tradição no feminino, que não investem na formação. Uma vaga que seria nossa”.

Outra equipe de destaque na modalidade, o Kindermann desistiu do campeonato no fim de 2015. À época, o treinador da equipe, Josué Henrique Kaercher, foi assassinado por um ex-funcionário do clube. A tragédia levou à suspensão das atividades do clube por tempo indeterminado. As catarinenses haviam sido campeãs da Copa do Brasil Feminina de 2015, mas sem uma boa campanha no Brasileirão foram eliminadas ainda na primeira fase.

O Mixto (MT) também ficará de fora do Brasileirão de 2016. A equipe foi a única representante da Região Centro-Oeste na competição do ano passado. O time disputou o campeonato com uma equipe formada de jovens jogadoras e acabou ficando de fora por estar na 19ª posição no ranking. A assessoria do clube informou que a nova diretoria, que tomou posse este mês, tem como foco cuidar da equipe masculina. O time feminino foi desfeito após o Brasileirão de 2015.

Confira a lista de participantes do Brasileirão Feminino e como cada time conseguiu a vaga:

1. Ferroviária (SP) - Copa do Brasil (vice)

2. Rio Preto (SP) - Campeonato Brasileiro (campeã)

3. São José (SP) - Ranking (1º)

4. Vitória (PE) - Ranking (2º)

5. São Francisco (BA) - Ranking (4º)

6. Foz Cataratas (PR) Ranking (5º)

7. ADECO (SP) - Ranking (7º)

8. Iranduba (AM) - Ranking (8º)

9. Duque de Caxias (RJ) - Ranking (10º)

10. Caucaia (CE) - Ranking (11º)

11. Corinthians (SP) - Time masculino na Série A

12. Santos (SP) - Time masculino na Série A

13. Flamengo (RJ) - Time masculino na Série A

14. Vitória (BA) - Time masculino na Série B (em 2015)

15. América (MG) - Time masculino na Série B (em 2015)

16. Viana (MA) - Ranking (12º)

17. Pinheirense (PA) - Ranking (13º)

18. Vasco da Gama (RJ) - Ranking (14º)

19. Portuguesa (SP) - Ranking (15º)

20. Tiradentes (PI) - Ranking (17º)

Edição: Edgard Matsuki