Você está aqui

CNBB cobra assistência a crianças com microcefalia

  • 04/02/2016 15h11publicação
  • 04/02/2016 19h24atualização
  • Brasílialocalização
Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil
Brasília O presidente da CNBB, dom Sérgio da Rocha , fala sobre mensagem aos católicos, na qual pede que intensifiquem mobilização no combate ao mosquito Aedes aegypt (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – O presidente da CNBB, dom Sérgio da Rocha , fala sobre mensagem aos católicos, na qual pede que intensifiquem mobilização no combate ao mosquito Aedes aegypt Wilson Dias/Agência Brasil

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou hoje (4) uma mensagem pedindo que os católicos brasileiros intensifiquem a mobilização no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika.

De acordo com o texto, a infecção por Zika merece atenção especial por sua provável ligação com o aumento de casos de microcefalia registrados no país. A entidade lembrou que a "gravidade da situação" levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar emergência em saúde pública de importância internacional.

"O estado de alerta, contudo, não deve nos levar ao pânico, como se estivéssemos diante de uma situação invencível, apesar de sua extrema gravidade", reforçou o comunicado.

Ainda por meio de nota, a CNBB cobrou que seja garantida, com urgência, a assistência aos atingidos por todas as enfermidades em questão, sobretudo crianças que nascem com microcefalia e suas famílias. "A saúde, dom e direito de todos, deve ser assegurada, em primeiro lugar, pelos gestores públicos".

O compromisso do cidadão, segundo o texto, também é considerado pela CNBB como indispensável na tarefa de erradicar um mal que desafia as instituições brasileiras. O princípio de tudo, de acordo com a entidade, deve ser a educação e a corresponsabilidade.

"Vamos fazer chegar à toda a Igreja essa mensagem", disse o presidente da CNBB, dom Sérgio da Rocha, ao lembrar que a própria campanha da fraternidade deste ano, a ser lançada na próxima semana, trata do saneamento básico no país. "Sem uma eficaz política nacional de saneamento básico, fica comprometido todo o esforço de combate ao Aedes aegypti."

A mensagem será entregue na tarde de hoje à presidenta Dilma Rousseff, com quem dom Sérgio da Rocha se reúne às 16h30, no Palácio do Planalto. O encontro ocorre após convite da própria Presidência da República. "Sentimos que é importante dialogar sobre isso com o governo federal", disse o presidente da CNBB.

Após o encontro com a presidenta, o presidente da CNBB disse que o Ministério da Saúde vai disponibilizar os materiais necessários para que os padres e bispos auxiliem no trabalho de orientação das pessoas para combaterem o mosquito. Segundo ele, os líderes católicos vão aproveitas as celebrações e reuniões nas igrejas para incentivar os fiéis a fazerem sua parte. No âmbito comunitário, explicou, poderá ser feito um mapeamento da situação a nível local, podendo inclusive haver a organização de mutirões coletivos.

"Estamos vendo crescer a consciência a respeito da gravidade e da urgência da situação. Precisamos fazer nossa parte para que isso cresça ainda mais. Temos iniciativas pessoais, comunitárias, mas também no saneamento básico. Aí entra o poder público. Temos consciência da gravidade desse momento, temos muito a contribuir, mobilizando, formando as pessoas para que haja uma redução significativa do número [de infectados com o vírus]", disse.

 

>> Leia mais matérias da Agência Brasil sobre o tema

 

matéria atualizada às 19h23 para acréscimo de informações

Edição: Lílian Beraldo