Você está aqui

São Paulo inaugura tendas de atendimento a pacientes com suspeita de dengue

  • 24/02/2016 18h23publicação
  • Brasílialocalização
Camila Boehm - Repórter da Agência Brasil

Duas tendas de atendimento a pacientes com suspeita de dengue foram inaugurados hoje (24) na zona leste de São Paulo, região da cidade mais afetada pela doença, com 70 casos registrados na terceira semana de fevereiro.

As tendas foram instaladas nos bairros de Lajeado e Penha, os que mais registram suspeitas de dengue até agora. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o número de tendas na cidade pode chegar a 14, dependendo do avanço da doença.

Paciente é examinada em uma das tendas instaladas na zona leste de São Paulo para atendimento de casos suspeitos de dengue

Paciente é examinada em uma das tendas instaladas na zona leste de São Paulo para atendimento de casos suspeitos de dengue Divulgação/Edson Hatakeyama – CESCOM/SMS

“Temos essas tendas especificamente para atender aos casos de dengue e oferecermos mais agilidade no diagnóstico e no tratamento. Isso tem um impacto direto na sobrevida do paciente”, disse o supervisor de saúde da Penha, Celso Galhardo Monteiro.

Quem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou Assistência Médica Ambulatorial (AMA) com suspeita de dengue poderá ser encaminhado para uma das tendas. As chegar ao local, é feita uma avaliação de risco e os pacientes em estado mais grave têm prioridade no atendimento médico.

Exames e medicação

Na tenda da Penha, são quatro médicos – três clínicos gerais e um pediatra. Caso seja necessária a aplicação de soro diretamente na veia, o paciente poderá realizar o procedimento na própria tenda, que conta com 25 poltronas para esse procedimento.

No local também são colhidas amostras de sangue. “Temos uma máquina que realiza um hemograma rápido, que vai fazer a análise laboratorial e, a depender da gravidade do resultado desse exame, se porventura o usuário estiver apresentando provas de sangramento, temos uma ambulância que o encaminha para o nosso hospital de referência e ele já é internado imediatamente”, explicou Monteiro.

Segundo o supervisor de saúde, o atendimento nas tendas tem também o objetivo de não sobrecarregar os prontos-socorros e as demais unidades de saúde com casos suspeitos de dengue.

Edição: Luana Lourenço