Você está aqui

Rio: prefeitura e Defensoria Pública firmam acordo para urbanizar Vila Autódromo

  • 13/04/2016 20h57publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil
rio2016_banner

 

A prefeitura do Rio e a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro firmaram hoje (13) acordo para a construção de casas e urbanização da Vila Autódromo, comunidade ao lado do Parque Olímpico da Barra, na zona oeste da cidade.Representantes da defensoria foram ontem (12) à vila para colher a assinatura dos moradores.

Segundo a Defensoria, a previsão é que as obras comecem imediatamente e sejam concluídas no dia 22 de julho, data em que está prevista a entrega das chaves à “população resistente”.

“É uma luta de mais de 20 anos para garantia do direito à moradia. É também a vitória da resistência, e não só para quem permaneceu na Vila Autódromo, mas, sobretudo, para todos os que se encontram na mesma situação. Com a oficialização do acordo, e com a prefeitura assumindo a obrigação de construir as casas, outras comunidades perceberão que, quando há resistência, há resposta”, disse o coordenador do Núcleo de Terras de Habitação da Defensoria Pública, João Helvecio de Carvalho.

A urbanização prevista no acordo compreende lotes de 180 metros quadrados (m²) e área construída total de 56,46m², sendo 48,95m² de área útil. Uma única rua abrigará todas as moradias, que terão dois quartos, sala, cozinha, banheiro e um jardim de inverno, de onde será possível chegar ao segundo andar, caso o proprietário queira construir mais um pavimento. Também será construída uma praça poliesportiva, além de um centro cultural que vai abrigar a sede da associação de moradores.

Sandra Maria de Souza reconhece que a prefeitura fez mudanças no projeto, mas diz que é cedo para comemorar

Sandra de Souza diz que quer ver tudo pronto e que ainda é cedo para comemorar Akemi Nitahara/Agência Brasil

Moradora da Vila Autódromo, Sandra Maria de Souza disse que a prefeitura fez as modificações no projeto solicitadas pela comunidade, mas ressalta que ainda é cedo para comemorar. “Foram dois anos de muita luta, foi bem árduo. Por isso, queremos ver para crer. Só vamos crer 'totalmente' quando estiver tudo pronto, as casas prontas. Mas está tudo documentado e assinado.”

De acordo com Sandra, 24 famílias assinaram o acordo. Nove terão que deixar suas casas imediatamente, pois ficam na área em que será construída a nova vila, e serão alocadas em contêineres com luz, água e ar-condicionado. Cinco famílias estão com advogados negociando com a prefeitura e ainda não tiveram a situação definida.

Cerca de 600 famílias viviam na Vila Autódromo, que teve 95% das casas demolidas. Os moradores que saíram foram indenizados ou realocados em condomínios do programa Minha Casa, Minha Vida.

Edição: Nádia Franco