Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Policiais civis do Rio protestam nas ruas e ameaçam greve durante Olimpíada

Publicado em 27/06/2016 - 17:03

Por Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

Policiais civis do Rio de Janeiro fizeram hoje (27) um protesto e paralisaram parcialmente o atendimento em delegacias do estado, contra atrasos nos salários, falta de material de expediente, serviços de limpeza e escassez de combustível. Uma paralisação da categoria durante a Olimpíada não está descartada, segundo o presidente da Coligação de Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Colpol-RJ), Fábio Neira.

Rio de Janeiro - Polícia Civil faz protesto no centro da capital contra atrasos dos salários e por melhores condições de trabalho (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Polícia Civil do Rio de Janeiro faz protesto  contra atrasos dos salários e por melhores condições de trabalho Tomaz Silva/Agência Brasil

“A paciência acabou. Agora a questão é de subsistência. Estamos em um colapso. Vamos, gradativamente, aumentando o movimento. Não queremos radicalizar, mas o governo está nos levando a isso. A base está muito insatisfeita e sem perspectiva. Uma paralisação total não pode ser descartada”, disse Neira sobre a possibilidade de greve da categoria durante os Jogos Olímpicos.

Centenas de policiais se reuniram nesta segunda-feira em frente à Chefia de Polícia, na Lapa, e depois seguiram em passeata pelas ruas do centro, com faixas e cartazes de protesto, até a Assembleia Legislativa (Alerj), próximo à Praça 15.

“Queremos a volta da integralidade dos salários, que o pagamento volte para o segundo dia útil,  condições dignas nas delegacias, o fim da cota de combustível e que os terceirizados voltem a trabalhar”, disse Neira.

A polícia civil divulgou nota dizendo que entende as reivindicações dos policiais, consideradas justas e motivadas em razão das dificuldades da categoria, e informou que os delegados avaliariam as ocorrências nas delegacias para encaminhar as mais urgentes, durante a paralisação.

“A Chefia de Polícia está avaliando com os diretores-gerais a adesão do movimento, já tendo combinado com estes que o delegado titular da respectiva unidade avaliará a complexidade de ocorrências apresentadas e tomará as providências para o registro e demais medidas legais necessárias ao encarceramento de criminosos presos em flagrante”, informa a nota.

A população também pode fazer ocorrências pela internet, no endereço https://dedic.pcivil.rj.gov.br, bem como pela Central de Atendimento ao Cidadão (CAC), pelos telefones (21) 2334-8823, (21) 2334-8835 e pelo chat https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.

Edição: Jorge Wamburg

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias