Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Nunca esqueceremos atitudes dos colombianos, diz Serra em homenagem em Medellín

Publicado em 01/12/2016 - 09:54

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil* Brasília

epa05654494 Thousands of people attend an event commemorating the victims of a plane crash in Medellin, Colombia, 30 November 2016. Thousands of people gathered at Atanasio Girardot Stadium in Medellin to pay tribute to

Na homenagem às vítimas do acidente com a equipe brasileira, torcedores colombianos  levaram faixas  que diziam: "O futebol não tem fronteiras" e "Somos todos Chapecoense"  Mauricio Dueñas Castañeda/EPA/Lusa

O palco que deveria celebrar uma final inédita da Copa Sul-Americana, o estádio Atanasio Girardot, em Medellín, tornou-se um dos locais de uma das mais belas homenagens já vistas no mundo do futebol. Além das milhares que ficaram do lado de fora, mais de 40 mil pessoas lotaram ontem (30) a casa do Atlético Nacional para homenagear os 71 mortos na queda do avião da LaMia que levava a delegação da Chapecoense para a inédita disputa.

Às 21h45, horário em que deveria começar a primeira partida da final, as torcidas da Chapecoense e do Atlético Nacional começaram simultaneamente, na Arena Condá, em Chapecó (SC), e no Atanásio Girardot, a homenagem aos mortos no acidente da última terça-feira (29).

Representando o Brasil em Medellín, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, fez um discurso emocionado. “Nós brasileiros não esqueceremos jamais a forma como os colombianos sentiram como seu o terrível desastre que interrompeu o sonho da heroica equipe da Chapecoense. Assim como não esqueceremos a atitude do Atlético Nacional e de todos os torcedores que pediram que se concedesse o título da Copa Sul-Americana à Chapecoense. Um gesto que honra o esporte e que honra a querida cidade de Medellín”, disse.

A homenagem durou os 90 minutos que deveria durar a partida. Na Arena Condá, milhares de pessoas se reuniram para uma cerimônia religiosa e para lembrar dos "heróis" locais, com muitas lágrimas e homenagens. Com cantos de "é campeão" e da música criada pelos torcedores do Nacional para a Chapecoense, os torcedores promoveram uma belíssima homenagem aos falecidos.

“A tragédia que vitimou também jornalistas e membros da tripulação e as inúmeras manifestações de carinho para a Chape no Brasil, na Colômbia e no mundo são testemunhas da importância da nobreza do esporte como catalisador dos melhores sentimentos humanos, como arma para combater a intolerância, como instrumento para construirmos um mundo melhor”, disse Serra, lembrando que as cores da Chapecoense e do Atlético são verde e branco, “esperança e paz”.

Os nomes de todas as vítimas - incluindo os jornalistas e a tripulação que faleceram - foram declamados sob muitos aplausos.

*Com informações da Agência Ansa

Edição: Lidia Neves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias