Você está aqui

Obama pede pressa nas pesquisas sobre o vírus Zika

  • 27/01/2016 13h42publicação
  • Washingtonlocalização
José Romildo - Correspondente da Agência Brasil

O presidente americano, Barack Obama, reuniu sua equipe na área de saúde e manifestou preocupação com o Brasil, que vai sediar as Olimpíadas em agosto (Casa Branca / Divulgação)

O presidente norte-americano, Barack Obama, orientou sua equipe de saúde a acelerar os esforços nas pesquisas para desenvolver vacinas e tratamentos para conter o vírus Zika. Em reunião realizada nessa terça-feira (26) com lideranças da área de Saúde e Segurança Nacional, ele determinou que todos os americanos recebam informações sobre o vírus e as medidas que devem tomar para se proteger da infecção.

Segundo informações da Casa Branca, o presidente está preocupado com a disseminação do Zika e de outros vírus transmitidos por mosquitos nas Américas e quer medidas para proteger a população.

Na reunião, Obama ouviu relatos da secretária de Saúde e Serviços Humanos, Sylvia Mathews Burwell, sobre os fatores que poderiam afetar a população do país e sobre o potencial de propagação do Zika. Recentemente, as autoridades de saúde emitiram alertas de viagens e orientações sobre o perigo de visitas a países onde o vírus está presente, com especial atenção às mulheres grávidas. No alerta, o Brasil foi cidado como um dos países que oferecem perigo. Outra preocupação do governo americano é com os potenciais impactos econômicos do alastramento do vírus no Hemisfério Ocidental.

A determinação de Obama foi dirigida aos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, conhecidos nos Estados Unidos pela sigla CDC. Entre as atribuições do CDC, que tem centros espalhados por todo o território norte-americano, está o monitoramento de doenças que possam chegar aos Estados Unidos por visitantes estrangeiros ou por americanos que tenham viajado para o exterior.

Depois de ter verificado que o vírus Zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti , já se espalhou para pelo menos 25 países, o CDC começou alertar as mulheres grávidas a respeito do risco de viagens para os países atingidos. O CDC também está orientando os ginecologistas norte-americanos para avaliar ultra-sonografias de bebês e fazer testes maternos para mulheres grávidas que tenham viajado para esses países.

Uma das preocupações das autoridades norte-americanas é o Brasil, que vai sediar as Olimpíadas, que ocorrerão no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto deste ano, Um bebê, no estado norte-americano do Havaí, nasceu com microcefalia depois que sua mãe voltou do Brasil. No estado de Illinois, duas mulheres grávidas que viajaram para a América Latina fizeram teste para o vírus e o resultado foi positivo. As autoridades de saúde estão monitorando a gravidez.

Comunicado

Hoje (27), o CDC emitiu comunicado indicando o uso de produtos à base da bactéria Bacillus Thuringiensis, variedade israelenses (BTI), para o controle do mosquito transmissor dos vírus zika, chikungunya e dengue.

De acordo com o CDC, os larvicidas biológicos não têm impacto em organismos que não sejam alvos, já que não possuem a enzima intestinal que transforma a proteína CRY em uma toxina. "Os produtos à base de BTI também não apresentam efeito acumulativo no ambiente", diz a agência americana.
 

 

 

 

Edição: Graça Adjuto