Você está aqui

Partido conservador da Holanda derrota extrema direita e terá que fazer alianças

  • 16/03/2017 10h22publicação
  • Holandalocalização
Da Agência Télam
O Primeiro Ministro holandês Mark Rutte (Esq) do Partido Liberal e ocandidato de extrema direita Geert Wilders, do Partido para a Liberdade

O primeiro ministro holandês Mark Rutte (Esq) do Partido Liberal derrotou  o polêmico candidato de extrema direita Geert Wilders (Dir), do Partido para a LiberdadeBart Maat/EPA/Agência Lusa

O partido conservador VVD, do primeiro-ministro Mark Rutte, conseguiu 33 assentos para o Parlamento nas eleições gerais de ontem (15) na Holanda. O candidato de extrema direita Geert Wilders ficou em segundo lugar, com 20 deputados, segundo os resultados oficiais quase definitivos divulgados hoje (16).

Com 95% dos votos apurados, Partido Popular pela Liberdade e Democracia (VVD) obteve 21% dos votos e Rutte terá como prioridade fazer alianças para tentar formar o governo, já que seu partido perdeu oito deputados em relação ao que tinha conquistado em 2012.

O Partido da Liberdade (PVV), de Wilders, teve 13% dos votos e ficou com 20 assentos, cinco a mais do que na eleição anterior. Com isso, deverá ser o partido mais importante da oposição se, conforme está previsto, não entrar no Executivo. 

Alianças

Poderiam formar a coalizão os democratas cristãos do CDA ou os liberais progressistas do D66, partidos que ficaram empatados no terceiro lugar, com 19 deputados cada. Eles cresceram seis e sete assentos respectivamente.

Empatados, ficam com 14 deputados o Partido Socialista (SP, a esquerda laboral) - com um a menos que na eleição anterior -, e os Verdes de Esquerda, partido que mais cresceu,  já que tinha quatro deputados, segundo a Agência EFE.

Os social-democratas do Partido do Trabalho (PvdA), que nos últimos quatro anos governaram em coalizção com o VVD, tiveram uma derrota histórica e passaram de 38 para nove deputados.  É a menor representação da história do partido no Parlamento, já que seu mínimo havia sido 23 deputados em 2002.

O Partido dos Animais terá cinco deputados, empatando com os Cristãos Unidos. Os calvinistas do SGP e o Denk (que nasceu duma ruptura turco-holandesa do PvdA) obtiveram três cadeiras cada.

 

Edição: Lidia Neves