Digite sua busca e aperte enter

Police officers hold up Bolivian flags while delivering a statement on the roof of a police station during a protest against Bolivia's President Evo Morales in La Paz, Bolivia, November 9, 2019. REUTERS/Manuel Claure NO RESALES. NO ARCHIVES REUTERS/Manuel Claure/Direitos reservados

Compartilhar:

Morales diz que não se sente responsável pela atual crise na Bolívia

Ele reconheceu, entretanto, que pode ter cometido erros

Publicado em 15/11/2019 - 11:07

Por Agência Brasil* Brasília

O ex-presidente boliviano Evo Morales disse hoje (15) no México, onde está no exílio, que não se sente responsável pela atual crise na Bolívia, mas reconheceu que possivelmente tenha cometido erros. 

Na avaliação dele, seu principal erro "foi derrotar os adversários". "Somos seres humanos, mas nunca pensamos em prejudicar o povo boliviano", afirmou.

Em entrevista ao programa En Punto, da rede Televisa, Morales afirmou que "por enquanto" não se vê de volta à presidência de seu país. Na avaliação dele, o país está "no estágio de recuperar a democracia e derrotar a ditadura". Na última terça (12), ao chegar ao México, Morales disse que houve um golpe de Estado na Bolívia

"Por enquanto não", disse Morales quando perguntado sobre um possível retorno à presidência boliviana, após renúncia no domingo passado, em meio a protestos sociais e uma abordagem militar. 

"Agora estamos no estágio de recuperação da democracia, derrotando a ditadura. Estou feliz, porque agora saberão quem somos", acrescentou.

Para Morales, "quando alguém está no poder há muito tempo, também se desgasta, mas vencemos o primeiro turno e não querem reconhecê-lo".

"Vencemos quatro eleições consecutivas. Levamos em conta os diferentes setores sociais. No início do meu governo, não havia muita participação do setor industrial", afirmou.

Ontem (14), o ex-presidente da Bolívia pediu ao papa Francisco e à Organização das Nações Unidas (ONU) que intercedam para "pacificar" o país em convulsão

Após a renúncia e saída de Evo do país, a senadora de oposição Jeanine Áñez, do partido Unidad Demócrata, declarou-se presidente da Bolívia. Ela removeu a cúpula militar e prometeu eleições "no menor tempo possível".

 

*Com informações da Agência Télam

Edição: Lílian Beraldo

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias