Você está aqui

Argentina e Brasil querem financiamento europeu para pesquisa sobre Zika

  • 23/02/2016 22h25publicação
  • Buenos Aires localização
Monica Yanakiew - Correspondente da Agência Brasil

O governo brasileiro propôs hoje (23) uma parceria com a Argentina para apresentar à União Europeia (UE) um projeto conjunto de pesquisa sobre o vírus Zika. O bloco europeu vai lançar um edital em março para financiar, com até dez milhões de euros, investigações científicas sobre o vírus. “A ideia é disputarmos juntos esse edital”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, após encontro com seu par argentino, Lino Barañao, em Buenos Aires.

Pansera destacou o recente avanço dos cientistas brasileiros, que identificaram a proteína responsável pela diferença entre o vírus da dengue e o vírus Zika. No entanto, segundo o ministro, ainda se sabe pouco sobre os efeitos da doença e como ela atua no sistema neurológico. “Não é algo que um país pode resolver sozinho”, disse. “É preciso a colaboração de cientistas do mundo inteiro e os argentinos têm interesse e experiência nessa área”, acrescentou.

Cooperação

Em outra parceria, os argentinos também participarão da construção do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) – um reator nuclear, que será usado na produção de biofármacos, atualmente importados do Canadá. “O Canadá vai sair desse mercado ate 2022 e o governo brasileiro decidiu começar a fabricar esses produtos, que pesam na nossa balança comercial”, disse Pansera.

Os dois principais sócios do Mercosul também vão atuar em cooperação em projetos de financiamento de startups. O Brasil ofereceu à Argentina o uso de seu supercomputador Santos Dumont. Um comitê científico dos dois países manterá reuniões mensais para dar seguimento aos projetos conjuntos.

Edição: Luana Lourenço