Você está aqui

Equipe de Dilma discutirá medidas econômicas em 1º encontro do ano do Conselhão

  • 27/01/2016 08h01publicação
  • Brasílialocalização
Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil

Brasília - Presidenta Dilma Rousseff durante café da manhã com jornalistas do Palácio do Planalto (José Cruz/Agência Brasil)

Brasília - Dilma participa amanhã (28) da primeira reunião do Conselhão, após a reativação do órgãoJosé Cruz/Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff escalou seus principais auxiliares da área econômica para discursar durante reunião, amanhã (28), do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão. Embora a intenção do governo seja ouvir as sugestões dos conselheiros, o formato da primeira reunião, após a reativação do órgão, prevê que pelo menos cinco ministros façam apresentações, além da própria presidenta.

Com o objetvio de ouvir primeiramente as exposições dos ministros e as vozes dos membros do Conselhão, que será formado por 90 representantes da sociedade civil, do empresariado e de centrais sindicais, a presidenta será a última a falar. Esta será a primeira reunião do órgão após sua reativação, pois o grupo não se reúne desde julho de 2014. O discurso de Nelson Barbosa, titular da Fazenda, é o mais aguardado devido à possibilidade de anunciar medidas econômicas para salvar o país do momento de retração atual.

Preparativos

Ontem (26), Dilma se reuniu com oito ministros para discutir os preparativos para a reunião, entre eles, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Ela pediu que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, dê as linhas gerais sobre ações que o governo pretende concentrar este ano no âmbito das exportações, no intuito de retomar a economia. O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Valdir Simão, falará aos conselheiros sobre a reforma administrativa que vem sendo conduzida pelo governo para eliminar gastos públicos. Também estão previstas as falas da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, e do ministro da Saúde, Marcelo Castro, que prepara material sobre o combate ao mosquito transmissor do vírus Zika, que pode causar microcefalia em bebês.

Temas como a reforma da Previdência e a possibilidade de uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia para empréstimo consignado de trabalhadores poderão ser propostos por Nelso Barbosa como temas a serem discutidos no colegiado. Ele também pretende fazer um balanço da sua participação na semana passada no Fórum Econômico Mundial, na Suíça. A ideia é que após o encontro desta quinta, o Conselhão crie grupos temáticos para receber as colaborações de forma mais sistematizada.

Câmara

Na próxima terça-feira, o ministro da Fazenda participa da primeira reunião do ano do governo com os líderes da base aliada na Câmara. O objetivo é conversar com os deputados sobre os temas discutidos no Conselhão, fazendo um apelo para que se empenhem na aprovação de propostas que estão em análise no Congresso Nacional como a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), a Desvinculação de Receitas da União (DRU), que permite o uso livre de parte da arrecadação pelo Executivo, e o projeto que trata da taxação de bens de capital.

A ampliação do comércio exterior brasileiro, com a desvalorização do real, será o enfoque da intervenção de Armando Monteiro. O ministro deverá apresentar o que está sendo feito pelo Brasil para ampliar os mercados e eliminar as chamadas barreiras não tarifárias em acordos comerciais em andamento. Durante a reunião de ontem, também ficou definido que o ex-presidente do PCdoB Renato Rabelo será o secretário executivo do Conselhão.

Edição: Talita Cavalcante