Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Público debate papel das TVs públicas durante festival de cinema

Publicado em 18/09/2014 - 23:13

Por Michèlle Canes - Repórter da Agência Brasil Brasília

Uma programação pensada pelas televisões públicas e demandada por elas. A parceria entre a Agência Nacional de Cinema (Ancine), a Secretaria do Audiovisual (SAV- MinC) e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para uma nova linha de financiamento de conteúdo para a rede pública foi discutida em seminário hoje (18), no 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

A linha de crédito, que faz parte do projeto Brasil de Todas as Telas, é resultado de um trabalho de dois anos. A ideia é que as TVs possam avaliar o que desejam colocar em suas grades de exibição e demandar projetos específicos - voltados para o público - aos produtores independentes. TVs educativas, comunitárias e educacionais também participam. “Parte de uma demanda de programação, e é um convite que as instituições do governo brasileiro estão fazendo a essas televisões para participarem das políticas de fomento de audiovisual”, explica o secretário de Políticas de Financiamento da Ancine, Paulo Alcoforado.

O debate teve a participação do diretor-geral da EBC, Eduardo Castro. Ele explicou que a ideia da linha é conciliar interesses e características dos envolvidos com os requisitos para o financiamento, para que o material produzido possa ser entregue ao público. “A TV Brasil já trabalhou com o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), só que agora a gente conseguiu encontrar esse mecanismo que vai ser um pouco mais perene e conseguir entregar mais prateleira para a televisão, produtos específicos, e mais: pensados para a TV pública, comunitária, educativa e cultural. Essa é a grande novidade” disse.

No processo, Eduardo Castro disse que a EBC pretende ser indutora da produção. “Uma das características principais dessa linha [de recursos] é a de ser regionalizada para buscar, nas cinco regiões, conteúdo da produção independente para as redes públicas”, destacou.

O próximo passo é identificar e fazer levantamento dos interesses de programação da rede pública. Um estudo está sendo feito com cerca de 200 emissoras. Em novembro próximo havererá um encontro para determinar as demandas que vão guiar a produção dos editais. O financiamento do FSA vai cobrir 100% do projeto demandado ao produtor independente. A projeção é que sejam destinados R$ 12 milhões por ano para cada região do país. “O dinheiro vem da Ancine, que atende às necessidades da televisão à medida em que as TVs dizem o que querem de programação. As emissoras recebem o produto, que é o resultado do trabalho feito com o dinheiro”, acrescentou o diretor da EBC.

Depois de seis meses o produtor poderá veicular o material em outros canais, além do demandante, o que não fecha as portas para veiculação do material em televisões privadas, por exemplo. Outro ponto importante destacado é a possibilidade de capilarizar o material. “As TVs públicas conseguem fazer com que essa linha seja onipresente, de modo a regionalizar o investimento do FSA e convidar as pessoas de todas as regiões para participarem”, diz Paulo Alcoforado.

Márcio Curi, produtor e diretor, que estava na plateia, aproveitou a oportunidade para tirar dúvidas. Para ele, as políticas que vêm sendo apresentadas, voltadas para a regionalização, apontam uma boa direção. “Essas linhas que vão envolver a EBC e as emissoras públicas, na busca por conteúdo de produção independente local, é uma coisa nova e extremamente auspiciosa. Gostei”. Ele destacou ainda que o estudo feito com relação às demandas vai direcionar os projetos a serem desenvolvidos.


Fonte: Público debate papel das TVs públicas durante festival de cinema
Edição: Stênio Ribeiro

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias