Você está aqui

No Dia Nacional de Combate ao Contrabando, manifestantes fazem protesto em SP

  • 03/03/2016 10h08publicação
  • São Paulolocalização
Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

Cerca de 90 pessoas protestam em frente ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, contra o crime do contrabando, que registrou crescimento de 15% ano passado no país, chegando a R$ 115 bilhões. A manifestação ocorre no Dia Nacional de Combate ao Contrabando.

Os manifestantes criticam ainda o aumento dos impostos sobre produtos nacionais, promovido pelo governo de São Paulo. “Quando aumenta a tributação da indústria e setor produtivo, aumenta cada vez mais o problema do contrabando, mercado ilegal”, disse Rodolpho Ramazzini, advogado especializado em combate a fraude, falsificação e contrabando da Associação Brasileira de Combate à Falsificação. Segundo ele, a medida resulta na elevação da entrada de mercadorias ilegais vindas do Paraguai.

“O governo estadual aumentou a tributação sobre os setores, fazendo com que a indústria como um todo, seja o setor de autopeças, brinquedos, eletroeletrônicos e cigarros, sejam sufocados pelo problema do contrabando. O produto contrabandeado acaba chegando para o consumidor final com problemas de segurança, qualidade e saúde por um quarto do preço do produto nacional”, disse Ramazzini. Ele reclamou ainda da elevação da alíquota do Imposto sobre Operações de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que passou de 25% para 30%, no caso do fumo, e de 18% para 20%, sobre as cervejas, por exemplo.

A partir das 12h, a associação fará a destruição de produtos contrabandeados (especialmente cigarros) e divulgará um balanço para mostrar que foram feitas quase 2 mil operações de apreensão de produtos contrabandeados nos últimos 12 meses. Houve aumento de 17% do volume de operações em relação ao período anterior.

O governo estadual informou à Agência Brasil que não irá se pronunciar.

*Matéria ampliada às 12h05.

Edição: Talita Cavalcante