Você está aqui

Coreia do Norte lança mísseis de curto alcance após sanções da ONU

  • 03/03/2016 07h41publicação
  • Seullocalização
Da Agência Lusa

A Coreia do Norte lançou hoje (3) vários mísseis de curto alcance a partir da sua costa oriental, em aparente demonstração de força após as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), informou o Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

O Exército Popular norte-coreano lançou os mísseis para o Mar do Japão a partir da localidade de Wonsan, no Sudeste do país, disse à agência EFE um porta-voz da Defesa sul-coreana, sem dar mais detalhes.

A ação da Coreia do Norte surge horas depois de o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado, em Nova York, resolução que impõe duras restrições comerciais ao país comunista em resposta aos últimos testes nucleares e de mísseis de longo alcance.

O ministério sul-coreano informou que seis projéteis, com aparente alcance de 100 a 150 quilômetros, foram lançados ao Mar do Japão.

O porta-voz do ministério, Moon Sang-Gyun, disse que o governo ainda analisa se se trataram mesmo de mísseis de curto alcance ou de foguetes.

“O Exército da Coreia do Sul está monitorando movimentos do Norte”, acrescentou.

A Coreia do Norte dispara regularmente mísseis ou foguetes para mostrar descontentamento com os seus vizinhos ou com a comunidade internacional.

As sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU nessa quarta-feira foram as mais duras até agora contra a Coreia do Norte, que fez o seu quarto teste nuclear no dia 6 de janeiro e lançou um foguete de longo alcance no mês passado.

A resolução do Conselho de Segurança impõe a todos os países a medida sem precedente de inspecionar todas as mercadorias com origem ou destinadas à Coreia do Norte e a proibição de entrada nos portos de navios e de voos suspeitos de transportar bens ilegais.

O pacote inclui a proibição das exportações norte-coreanas de carvão, ferro e minério de ferro, ouro, titânio e minerais raros, assim como a importação de combustível de aviação, além de combustível para mísseis.

As sanções preveem ainda a expulsão, pelos países-membros da ONU, de diplomatas norte-coreanos que estejam envolvidos em contrabando ou outras atividades ilegais e acrescenta 16 indivíduos e 12 entidades à lista “negra” das sanções, incluindo a agência espacial e os serviços de informações norte-coreanos.

Sanções anteriores contra a elite do regime foram ampliadas, com a proibição de exportação para a Coreia do Norte de relógios de luxo, motos de neve, embarcações de recreio e equipamentos desportivos.