Rádio Nacional do Rio de Janeiro completa 84 anos

Testemunha da história, a emissora uniu o país em uma só frequência

Publicado em 12/09/2020 - 08:00 Por Lgia Souto - Rio de Janeiro

Presente na memória afetiva de muitos brasileiros, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro entrava no ar pela primeira vez no dia 12 de setembro de 1936. Eram nove horas da noite, quando o radialista Celso Guimarães inaugurou a transmissão, ao som de “Luar do Sertão”.

Do alto do edifício A Noite, primeiro arranha céu da América Latina, na Praça Mauá, a emissora ganhou importância a partir de 1940, quando foi incorporada à União pelo governo Getúlio Vargas. E, ao longo dos anos, se firmou como um fenômeno da cultura brasileira.

Parte do sucesso alcançado na época de ouro do rádio foi resultado de uma programação que informava, entretia e emocionava.

Talvez por isso, tenha conquistado ouvintes fiéis, como a dona Edna Jardim Torres, de 88 anos.

A popularidade ficou ainda maior depois da estreia das rádio novelas, que marcaram época. A primeira delas, em 1941, foi "Em Busca da Felicidade".

E já como a maior audiência do país, revolucionou o radiojornalismo com o famoso Repórter Esso. Na voz do jornalista Heron Domingues, o programa ganhou credibilidade e noticiou fatos históricos do Brasil e do mundo.

O caminho trilhado pela Rádio Nacional também foi diretamente influenciado pelas transmissões esportivas de momentos emocionantes, como o gol da vitória do Brasil na final da Copa do mundo de 1958.

A emissora ainda fez história com os programas de auditório, que atraiam multidões.

E depois tantos anos no ar, com mudanças e atualizações no formato e na programação, a Nacional segue conquistando novos ouvintes, como o professor e historiador Leandro Silveira, de 37 anos.

Com toda essa bagagem, a Nacional fez escola, inspirando de maneira decisiva a programação de rádios e canais de televisão, como lembra o radialista Cirilo Reis, que apresenta o Musishow, desde 1980. E com tantos anos de casa, é dele, também, a honra dos parabéns desse ano.

Testemunha da história, a Rádio Nacional cantou, encantou e uniu todo o país em uma só frequência.

E no alto dos seus 84 anos, agora instalada no bairro da Lapa, a emissora da Empresa Brasil de Comunicação resiste, com o importante papel de dar voz a população.

Com sonorização de Eduardo Monteiro

Edição: Sâmia Mendes

Últimas notícias
Direitos Humanos

Mulheres e negros refugiados venezuelanos têm menos acesso a emprego

Apesar de o número de imigrantes venezuelanos ser quase o mesmo entre homens e mulheres, 17% das mulheres venezuelanas estão sem ocupação, já os homens sem trabalho correspondem a 6,4%.

Baixar arquivo
Justiça

Judiciário promove a semana "Justiça pela Paz em Casa”

 A iniciativa pretende dar andamento aos processos de violência doméstica e sensibilizar a sociedade com práticas educativas.

Baixar arquivo
Segurança

PM morto em abordagem de veículo no RJ é enterrado hoje

Nelcir de Paula Jacobino foi baleado na cabeça por homens que estavam no carro abordado por sua equipe na manhã deste domingo (14), em Irajá. Ele estava na Polícia Militar desde 1999.

Baixar arquivo
Segurança

Continuam buscas por desaparecidos em Nova Iguaçu

Quatro amigos e um motorista de app sumiram a caminho de um shopping da cidade, na Baixada Fluminense, na sexta-feira. Veículo teria sido interceptado por encapuzados quando passava pelo bairro Valverde.

Baixar arquivo
Esportes

Lauro Chaman conquista prata no Mundial de paraciclismo

Ele percorreu 82,9km, ficando atrás apenas do francês Kevin Le Cunff, que conquistou o ouro.

Baixar arquivo
Cultura

História Hoje: há 55 anos morria o pintor surrealista René Magritte

Ele morreu aos 68 anos, em 15 de agosto de 1967, em casa, em Bruxelas, na Bélgica. Magritte havia passado três semanas no hospital para tratamento de um câncer no pâncreas.

Baixar arquivo