Brasileiros da região pomerana tentam manter língua-mãe viva

Eles vieram de uma região entre a Alemanha e a Polônia

Publicado em sábado, 9 Janeiro, 2021 - 07:00 Por Nelson Lin - São Paulo

[frase dita na língua pomerana]

O pesquisador da cultura pomerana Nilso Pinz costumava ouvir essa frase de sua avó, quando começou a aprender a língua pomerana na infância. Ela significa literalmente: “as crianças têm que aprender sua língua mãe, senão a chave ainda serve na orelha”.

Pinz faz parte da comunidade pomerana do município de Canguçu, no estado do Rio Grande do Sul. De acordo com estimativa do Ministério da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, existem cerca de 300 mil pomeranos aqui no país, espalhados pelos estados de Rondônia, Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A cultura pomerana é originária da região do Mar Báltico, entre a Alemanha e a Polônia. Devido à unificação alemã, ocorrida em meados do século 19, houve uma grande rota de imigração desse povo para os Estados Unidos e para o Brasil naquela época.

De acordo com Pinz, apesar de se situar entre a Alemanha e a Polônia, a língua pomerana tem mais similaridade com o inglês, em função de sua origem saxônica.

Arno Stuhr também faz parte da comunidade pomerana, mas na cidade de Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo. Ele também aprendeu a língua desde criança e, pensando em ajudar sua comunidade, fundou em 2013 a rádioweb Pomerisch Rádio e uma TV que tem a programação totalmente em pomerano. Stuhr explicou o que o motivou a criar a rádio.

Além da rádioweb, ele produz semanalmente um programa de 15 a 60 minutos que vai ao ar em cerca de 20 rádios FM no país. Arno Stuhr falou como tem sido a receptividade dos ouvintes com relação ao seu trabalho.

E, para manter a tradição e a língua pomerana vivas, em 2005 foi criado o Programa de Educação Escolar em Pomerano para incentivar o ensino bilíngue em cidades com comunidade pomerana.

E em Canguçu, no Rio Grande do Sul, o ensino opcional do pomerano nas escolas municipais foi oficializado a partir de 2018. Além de manter a língua viva nas escolas, Nilso Pinz também falou da importância de manter as tradições pomeranas com as festas típicas.

A música de fundo, escolhida por Stuhr, é utilizada no ritual da dança dos noivos nos casamentos pomeranos.

E, para terminar, Nilso Pinz nos ensina como falar tchau em pomerano.

 

 

 

* Produção: Renato Lima

 

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Saúde

Governo do Pará envia equipe à cidade de Faro

Objetivo é ajudar quanto às questões de atendimento hospitalar, já que, ontem (19), foram confirmadas as mortes de seis pessoas por falta de oxigênio. Faro fica na divisa com o estado do Amazonas, região da Calha Norte. E no município de Coari (AM), sete pessoas que estavam internadas com covid-19 morreram também por falta de oxigênio.

 

Baixar arquivo
Geral

Prova de vida de aposentados segue suspensa até fevereiro

Com o novo decreto publicado nesta quarta-feira (20), o INSS prorrogou até fevereiro a suspensão do corte dos pagamentos de quem não fez a comprovação, tanto para residentes no Brasil ou no exterior.

Baixar arquivo
Educação

Niterói classifica educação como atividade essencial

Com isso, escolas poderão funcionar e ano letivo deve começar em março. Atualmente, a cidade está no nível amarelo de controle da covid-19, o que significa que até o ensino fundamental pode retornar às aulas presenciais. O secretário de Educação disse que, no entanto, ainda não há decisão para reabertura imediata das escolas.

Baixar arquivo
Geral

Em Sergipe, prefeito deve responder por tomar vacina contra a covid-19

Prefeito do interior do estado de Sergipe poderá responder por ter tomado a vacina contra a covid-19 sem fazer parte dos grupos prioritários. 

Os detalhes com Pedro Ramos, da Rádio UFS FM de Aracaju. 

Baixar arquivo
Geral

INSS suspende atendimento do PREVBarco a comunidades do Amazonas

Com o agravamento da pandemia no Amazonas, o INSS resolveu suspender as missões dos chamados PREVBarcos, que são Unidades Móveis Flutuantes de atendimento à população ribeirinha e trabalhadores rurais.

Baixar arquivo