Cem anos do rádio no Brasil: Paulo Gracindo

Publicado em 04/08/2022 - 11:01 Por Rádio MEC - Rio de Janeiro

Nascido no Rio de Janeiro e criado em Alagoas, Pelópidas Guimarães Brandão Gracindo foi um dos personagens mais importantes da história do rádio no Brasil.

Após a morte do pai, Paulo Gracindo veio para o Rio de Janeiro e entrou para o teatro Ginástico Português, passando a atuar em diversas companhias ao lado de grandes atores, como Procópio Ferreira e Dulcina de Moraes.

Em setembro de 1935, seu amigo, o ator e diretor Olavo de Barros, realizou as primeiras experiências de rádio teatro, ainda chamado de Rádio Cego,  na recém criada Rádio Tupi   de Assis Chateaubriand.

Logo depois, em 1937, Olavo de Barros lançou a primeira novela transmitida pelo rádio, Mulheres de Bronze, com Paulo Gracindo no elenco principal.

Em meados dos anos 40, Paulo Gracindo passou a atuar também como animador de auditórios por indicação de seu colega Ary Barroso.

Grande sucesso de audiência, o Rádio Sequência G-3  ia ao ar na Rádio Tupi das 11h às 13h30 e levava informação, humor, música e promoções com o público participando ao vivo no auditório direto para a mesa de almoço dos ouvintes.

No final da década, o programa migrou junto com seu apresentador para a Rádio Nacional, onde passou a ser irradiado aos domingos e foi rebatizado de Programa Paulo Gracindo.

Além de estrelar radionovelas e comandar programas de auditório, Paulo Gracindo também compôs dezenas de músicas e fez carreira no rádio como humorista.

No programa Balança mas não cai,  o quadro Primo Pobre e Primo Rico, com o  saudoso ator Brandão Filho, ficou no ar por quase duas décadas e foi sucesso também na televisão.

Do rádio, Paulo Gracindo seguiu seu caminho natural para a televisão onde interpretou papéis memoráveis, como o Tucão da telenovela Bandeira 2, o coronel Ramiro Bastos, em Gabriela, João Maciel em O Casarão, o padre Hipólito de Roque Santeiro e o inesquecível prefeito Odorico Paraguaçu, de O Bem Amado.

Paulo Gracindo conjugou talento e versatilidade como poucos  e seus personagens povoam até hoje o imaginário brasileiro.

Cem anos em 100 programas

100 anos rádio no Brasil
100 anos rádio no Brasil - Arte EBC

Até 7 de setembro, a Rádio MEC vai produzir e transmitir, diariamente, interprogramas com entrevistas e pesquisas de acervo sobre diversos aspectos históricos relacionados ao veículo.

A ideia é resgatar personalidades, programas e emissoras marcantes presentes na memória afetiva dos ouvintes. Acompanhe na Radioagência.

 

Edição: Adriana Ribeiro / Alessandra Esteves

Últimas notícias
Geral

Casos de feminicídio e tentativa crescem no Rio

Os registros de feminicídio e tentativa de feminicídio no estado do Rio de Janeiro aumentaram quase 48% nos dois primeiros meses do ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública.

Baixar arquivo
Esportes

Campeonato Brasileiro de Futebol 2024 começa neste sábado

Rádio Nacional transmite jogo do Fluminense contra o Bragantino neste sábado (13), às 21h. 

Baixar arquivo
Saúde

São Paulo fará Dia D de vacinação contra a gripe neste sábado

Estado de São Paulo quer imunizar mais de 18 milhões de pessoas contra a gripe durante a campanha de vacinação. 

Baixar arquivo
Segurança

Saidinha de presos temporários favorece facções criminosas, diz IAB

Presidente da Comissão de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros diz que facções aproveitam as condições precárias do sistema penitenciário brasileiro para crescer. 

Baixar arquivo
Cultura

Exposição de Claudia Andujar revela sua jornada artística e ativista

A exposição "Claudia Andujar – Cosmovisão" lança novas luzes sobre o percurso artístico de uma das mais reconhecidas fotógrafas no Brasil.

Baixar arquivo
Política

Padilha rebate críticas e diz que não guarda rancor de Arthur Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, chamou o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, de desafeto e incompetente. 

Baixar arquivo