Brasil registra um assassinato a cada 10 minutos, alerta anuário

Pandemia pode ser causa de aumento dos feminicídios

Publicado em segunda-feira, 19 Outubro, 2020 - 14:00 Por Lucas Pordeus León - Brasília

Após o número de assassinatos cair no Brasil em 2019, o país voltou a registrar um aumento no número de mortes violentas intencionais no primeiro semestre de 2020, com um crescimento de 7% se comparado ao mesmo período do ano passado. Foram assassinadas nos primeiros seis meses deste ano 25.712 pessoas em todo o país. É uma média de 1 assassinato a cada 10 minutos.

O crescimento no número de homicídios ocorreu após uma queda de 17% em todo o ano de 2019, se comparado com 2018. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (19) pelo Fórum Nacional de Segurança Pública. A diretora-executiva da entidade, Samira Bueno, sugere  que uma das hipóteses para o aumento da violência é o crescimento da violência doméstica.  

O relatório do Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que os homicídios estão crescendo no Brasil há 9 meses, desde o último trimestre de 2019. Os feminicídios cresceram 1,9% no primeiro semestre do ano, quando 648 mulheres foram assassinadas em razão da condição de gênero. Para Samira Bueno, a pandemia pode explicar, em parte, esse aumento.

Em contraste ao aumento da violência contra a vida, os crimes contra o patrimônio caíram. Houve uma redução de 34% nos roubos a pedestres, uma queda de 22% nos roubos a veículos, menos 18% de roubos a comércios e menos 16% nos roubos a residências.

Segundo o presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, essa redução é uma consequência da pandemia.

A diretora executiva do Fórum de Segurança Pública, Samira Bueno, chama atenção ainda para o perfil racial das vítimas de violência, onde 74% das pessoas assassinadas são negras.

A violência policial também cresceu 6%. Foram 3.181 vítimas de intervenção policial no primeiro semestre no ano. Isso representa 12% do total de mortes violentas intencionais. O número de policiais assassinados também cresceu, um aumento de 19% no período. Foram 110 registros de policiais assassinados até junho de 2020.

 

Edição: Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Economia

Taxa de desemprego sobe e atinge 14,1 milhões de pessoas

A flexibilização das medidas de isolamento social para o controle da pandemia de covid-19 está pressionando cada vez mais o mercado de trabalho. Em julho, agosto e setembro, mais um milhão e 300 mil pessoas entraram na fila em busca de emprego.

Baixar arquivo
Eleições 2020

PM reforça policiamento em municípios do Rio onde haverá votação

Para garantir a segurança, a Polícia Militar do Rio de Janeiro vai repetir neste segundo turno das eleições municipais, o esquema montado no dia 15.

Baixar arquivo
Política

Plano de imunização contra a covid-19 está quase pronto, diz Bolsonaro

Bolsonaro voltou a dizer que qualquer vacina que receba a aprovação da Anvisa será comprada pelo governo. Reafirmando que a imunização será voluntária.
 

Baixar arquivo
Saúde

Governo destina R$ 335 milhões para cuidado com bebês prematuros

Cerca de 340 mil crianças nascem antes das 36 semanas todos os anos no Brasil. Além da readequação de 692 maternidades, verba também será destinada a um programa que pretende reduzir especificamente taxas de mortalidade de recém-nascidos.

Baixar arquivo
Eleições 2020

Propaganda política de rádio e TV começa nesta sexta em Macapá

A votação em Macapá foi adiada três dias antes da realização do primeiro turno em todo o país, em 15 de novembro, por causa da crise energética que atingiu o estado do Amapá por 22 dias.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Começa a Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

Proteger de forma integral crianças e adolescentes, garantindo a diversidade e o enfrentamento à violência: esse é o tema da 11º Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. O evento vai até o dia 10 de dezembro, e tem transmissão aberta nas redes sociais do Conanda.

Baixar arquivo