Crise e desemprego atinge de forma drástica migrantes e refugiados

Publicado em 22/06/2021 - 22:10 Por Eliane Gonçalves, Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Crise econômica e desemprego atingiram em cheio migrantes e refugiados. Dados do IBGE mostram que o desemprego no Brasil passou de 14% no primeiro trimestre e atingiu o recorde de 14 milhões e 800 mil brasileiros. Mas, para Gisele Netto, do Acnur, a Agência das Nações Unidas para Refugiados, o cenário é pior para os quem vivem como refugiados.

Para quem é de fora, os obstáculos começam pela língua, as diferenças culturais, a xenofobia e a regularização da documentação. Padre Paolo Parise, da Missão Paz, em São Paulo, diz que antes da pandemia o governo vinha restringindo a entrada de migrantes e refugiados, mas com a pandemia foram editadas 29 portarias impondo restrições à entrada de migrantes no país e a situação se agravou.

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos recomendou ao governo federal a alteração da Portaria 654, de maio de 2021, para facilitar a entrada de migrantes em situação de vulnerabilidade. Mas Rodrigo Larferté, coordenador do Conare,  Comitê Nacional para os Refugiados, órgão vinculado ao Ministério da Justiça, diz que as restrições impostas não afrontam os tratados internacionais, já que se fizeram necessárias em função da pandemia do coronavírus.

O relatório Refúgio em Números, divulgado nessa terça-feira pelo Observatório das Migrações Internacionais, mostra que no ano passado o Brasil recebeu pouco menos de 29 mil pedidos de reconhecimento da condição de refugiado. Em 2019, foram quase 83 mil solicitações.

Edição: Roberto Piza/ Beatriz Arcoverde

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Esportes

Esporte olímpico no país recebeu incentivos de mais de R$ 750 milhões

Em entrevista diretamente de Tóquio à Voz do Brasil, o ministro da Cidadania, João Roma, destacou que o Bolsa Atleta garante aos esportistas de alto rendimento condições para que se dediquem ao treinamento e competições.

Baixar arquivo
Saúde

Rio de Janeiro permanece com baixo risco para o contágio de covd-19

O Rio de Janeiro está com baixo risco para o contágio do coronavírus de acordo com a nova edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira pela Secretaria Estadual de Saúde. O estado manteve a classificação geral em bandeira amarela, que abrange sete das nove regiões.

Baixar arquivo
Justiça

Trabalhador que recusar vacina contra covid pode até ser demitido

Trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19 podem ser demitidos por justa causa por conduta de indisciplina.

Baixar arquivo
Saúde

Saiba quais alimentos devem ser evitados após se curar da covid-19

Nutricionistas apontam a necessidade de ingestão de alimentos que não sobrecarreguem o fígado neste momento. 

Baixar arquivo
Direitos Humanos

TJ suspende decisão sobre vacinas a toda população carcerária de SP

Segundo o Programa Nacional de Imunização, a população carcerária é prioritária e deveria ter sido uma das primeiras a serem vacinadas.

Economia

Dia dos Avós, Fecomércio-RJ estima movimentação de R$ 600 milhões

O Dia dos Avós, na próxima segunda-feira,  26 de Julho, deve movimentar  R$ 600 milhões na economia do estado do Rio de Janeiro. A Fecomércio-RJ estima que mais de cinco milhões de consumidores fluminenses devem ir às compras. O gasto médio deve ficar em torno de R$ 116,00.

Baixar arquivo