Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo

Associação nacional diz que 131 pessoas trans foram mortas em 2022

Publicado em 27/01/2023 - 16:15 Por Madson Euler - Repórter da Rádio Nacional - São Luís (MA)

Em relatório divulgado pela Antra, Associação Nacional de Travestis e Transexuais, o Brasil continua sendo campeão de desrespeito e violência com pessoas trans. Pelo décimo quarto ano seguido, somos o país que mais mata pessoas destes gêneros no mundo.

São 131 trans e travestis assassinados no país em 2022. No ranking de violência, o estado de Pernambuco é o mais perigoso para essa comunidade, totalizando 13 crimes no ano passado, seguido por São Paulo e Ceará, cada um com 11 registros de homicídios. Um número subnotificado, já que muitos estados não possuem sequer levantamento sobre LGBTQIAP+fobia.

Também  não existe nenhuma pesquisa nacional. Some-se  a isso a falta de um sistema de informação atualizado de classificação de gênero nas delegacias que atendem e investigam os casos. Por isso, mesmo os trabalhos de organizações não-governamentais para obter dados sobre violência contra transgêneros no Brasil, como a Antra, ainda são uma subnotificação da realidade.

A Delegada Cyntia Carvalho e Silva, titular da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa, ou por Orientação Sexual do Distrito Federal fala da importância da coleta correta de dados para uma melhor efetividade das políticas públicas voltadas para a população transgênero. 

O levantamento da Antra aponta que as práticas policiais e judiciais ainda se caracterizam pela falta de rigor na investigação, identificação e prisão dos suspeitos e, até mesmo, uma alienação em relação à diversidade de gêneros que hoje compõem a realidade brasileira. Essa postura faz com que muitos crimes não sejam investigados e julgados classificando a vítima  como transgênero.

A delegada Cyntia Carvalho e Silva sugere como solução a reciclagem dos profissionais para padronizar a classificação dos casos de violência contra a população trans.

Outro dado preocupante segundo o dossiê Assassinatos e Violências contra Travestis e Transexuais Brasileiras é que dos 131 assassinatos registrados no ano passado, foram identificados apenas 32 suspeitos.

Edição: Nádia Faggiani / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Segurança

Exército conclui investigação do furto de 21 metralhadoras

Militares e civis acusados pelo sumiço das armas foram indiciados. Eles foram responsabilizados por furto, peculato, receptação e extravio das armas.

Baixar arquivo
Segurança

Governo de São Paulo substitui mais de 30 coronéis da PM

Mudanças acontecem em meio a um cenário de questionamentos sobre a Operação Verão, que acontece na Baixada Santista. A operação já deixou 32 mortos, número que tem chamado a atenção de entidades de direitos humanos, como a Defensoria Pública de São Paulo

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Algoritmo pode agilizar distribuição de pacientes em leito hospitalar

O sistema ainda está em fase de testes e será aperfeiçoado para ser utilizado tanto na rede privada quanto pública. 

Baixar arquivo
Saúde

Rio de Janeiro deve receber vacinas contra dengue ainda hoje (22)

O público alvo desta remessa está na área que abrange a capital e municípios da Baixada Fluminense. As vacinas chegam logo após o governo decretar epidemia de dengue no estado

Baixar arquivo
Geral

Secretarias de Educação têm até domingo para aderir ao Pé-de-Meia

Os procedimentos devem ser feitos por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação, o Simec. 

Baixar arquivo
Geral

DPU recomenda câmeras corporais na captura dos 2 fugitivos em Mossoró

A defensora pública-chefe em Mossoró, Rogena Ximenes, argumentou, em ofício, que o Estado é responsável por garantir os direitos fundamentais daqueles que estão foragidos, independentemente das sentenças ou da repercussão criminal.

Baixar arquivo