MDHC rechaça fake news sobre tráfico de crianças na Ilha do Marajó

Ministro qualifica a conduta de alguns grupos como oportunista

Publicado em 24/02/2024 - 16:50 Por Tatiana Alves - repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania divulgou nota alertando para a propagação de fake news com denúncias sobre a exploração sexual e o tráfico de crianças na Ilha do Marajó, no Pará.

O assunto dominou as redes sociais após uma apresentação musical da artista gospel Aymee Rocha, no reality show musical Dom. Após cantar uma música que falava sobre situações de violência contra crianças, a cantora declarou que os casos de pedofilia, exploração sexual infantil e tráfico de órgãos são corriqueiros na Ilha.

A denúncia de Aymee foi reverberada nas redes sociais, inclusive por artistas e personalidades, mas muitas dessas publicações traziam vídeos e informações falsas.

Segundo a nota do ministério, a realidade de exploração sexual na região é preocupante e histórica, mas não deve ser utilizada de forma irresponsável e descontextualizada, porque isso estigmatiza as populações da Ilha e agrava os riscos sociais.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o ministro Silvio Almeida condenou a divulgação das informações falsas e qualificou como oportunista a conduta de grupos que se aproveitam da realidade da região para agir em nome de interesses próprios.

“Como também demonstro respeito à população de Marajó, rechaçando toda iniciativa desses oportunistas, que nunca fizeram nada pelo povo de Marajó, mas sempre tentam usar imagens do povo de Marajó, e imagens de crianças e adolescentes, para querer fortalecer as suas bandeiras, que são feitas em nome de interesses próprios, não nos interesses do povo brasileiro”, afirmou o ministro.

A nota do Ministério também informa que, em maio de 2023, foi criado o Programa Cidadania Marajó, com recursos para o combate à violência contra crianças e adolescentes e promoção de direitos humanos e acesso a políticas públicas.  O programa também está em articulação com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Polícia Federal e o Ministério da Defesa, para promover ações de monitoramento especial de fronteira contra o crime organizado, além de acionar empresas que operam na rota fluviomarítima do Marajó em ações de prevenção e enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes e ao tráfico de pessoas.

Edição: Tâmara Freire / Fran de Paula

Últimas notícias
Eleições 2020

Barco com corpos à deriva é encontrado no litoral do Pará

O inquérito está sob a responsabilidade da Polícia Federal no Pará que enviou equipes para a região.  

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Ministério da Saúde inicia Mês de Vacinação dos Povos Indígenas

O Ministério da Saúde inicia neste sábado, 13, o mês de vacinação dos povos indígenas. A proposta é intensificar a imunização em territórios indígenas, ampliando a cobertura vacinal, sobretudo em áreas de difícil acesso.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Ministério dos Esportes condena atos de racismo a alunos do DF

O Ministério dos Esportes condenou, neste sábado, os ataques racistas sofridos por estudantes no Distrito Federal. Alunos foram chamados de “macaco”, “filho de empregada” e “pobrinho” durante uma partida de futebol de salão entre colégios de Brasília. O caso aconteceu em três de abril e veio à tona, nesta semana.

Baixar arquivo
Internacional

Lula visitará Colômbia para fortalecer laços comerciais

A Colômbia é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Governo garante amparo a gestantes em cargos públicos provisórios

Mulheres que trabalham na administração pública em cargo em comissão ou são contratadas por tempo determinado têm garantido o direito à licença-maternidade e à estabilidade provisória.

Baixar arquivo
Geral

Inmet alerta para risco de chuvas intensas pelo Brasil

A previsão é de acumulados de chuva variando entre 30 e 60 milímetros por hora ou entre 50 e 100 milímetros por dia,

Baixar arquivo