Pnad mostra que renda dos mais pobres caiu e mais ricos passaram a ganhar mais em 2018

Desigualdade

Publicado em 16/10/2019 - 10:02 Por Tâmara Freire - Rio de Janeiro

O Brasil ficou mais desigual no ano passado, de acordo com o Suplemento sobre Rendimentos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgada, nesta quarta-feira (16), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Apesar do rendimento médio mensal per capita ter subido de R$ 1.285 em 2017 para R$ 1.337, em 2018,  a quantia caiu na base da pirâmide e subiu bastante no topo. Os 10% mais pobres passaram a viver com R$ 107 por mês em média, ao invés de R$ 109.

 

Já o rendimento das pessoas que estão entre os 1% mais ricos do país passou de R$15.055 para R$ 16.297.

 

Esse cálculo leva em conta todos os brasileiros, inclusive aqueles que não têm renda própria, como crianças. Mas a desigualdade cresceu ainda mais quando se considera apenas o rendimento proveniente de alguma forma de trabalho.

 

Neste caso, quem está entre os 30% mais pobres viu sua renda cair em média 1,1%, o que significa uma renda de, no máximo, R$ 951, menos do que um salário mínimo.

 

A gerente da pesquisa, Maria Lucia Vieira, disse que isso está relacionado com as mudanças ocorridas no mercado de trabalho nos últimos anos.

 

Alcides dos Santos Júnior trabalhava há quatro anos como recepcionista de uma clínica quando perdeu o emprego em 2017 e só conseguiu se recolocar, mas como estagiário, no final de 2018. Felizmente, a sua esposa estava empregada durante esse período.

 

Já a porção mais rica dos trabalhadores seguiu um caminho oposto e se tornou ainda mais rica, passando a receber, em média, R$ 27.744, 8,4% a mais do que em 2017.

 

Esse valor é quase 34 vezes a média dos rendimentos da metade mais pobre dos trabalhadores, que ficou em apenas R$ 820.

 

O IBGE também aponta diferenças regionais, com essa média variando de R$ 547 no Nordeste a até R$ 1.057, na região Sul.

 

A concentração de renda também apresentou piora e, em 2018, os 10% mais ricos da população concentraram mais de 40% de toda a massa de rendimentos dos país.

 

Já os 10% mais pobres tiveram acesso a apenas 0,8% desse total.

 

Como resultado, o coeficiente de Gini, indicador que mede a desigualdade, chegou a 0,509, no caso do rendimento de todos os trabalhos e a 0,545, com relação ao rendimento domiciliar per capita - ambos um recorde da série histórica.

Últimas notícias
Geral

São Paulo: adolescente de 15 anos morre em assalto em ponto de ônibus

Um menino de 15 anos morreu no fim da noite dessa quinta-feira baleado em um ponto de ônibus no Jardim Ângela, zona sul de São Paulo. A polícia investiga o caso.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

São Paulo: justiça garante bolsa-aluguel para quem vivia em abrigo

A justiça de São Paulo decidiu que prefeituras vão ter que pagar bolsa-aluguel para jovens que vivem em abrigos e completam 18 anos antes de terem sido adotados ou voltarem para a família de origem.

Baixar arquivo
Cultura

Exposição sobre Clarice Lispector chega ao Rio de Janeiro

A exposição fica em cartaz até outubro, no belo casarão do Instituto Moreira Sales, que fica na Gávea, na Zona Sul do Rio. A entrada é de graça.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Queimadas podem impactar as chuvas e o ecossistema no Pantanal

Materiais lançados no ar por queimadas podem impactar as temperaturas e as chuvas no Pantanal. Isso por que essas partículas minúsculas, chamadas de aerossóis, criam uma barreira para que os raios solares atinjam a terra.

Baixar arquivo
Geral

Mais de 24 milhões já entregaram a declaração do imposto de renda

O número atualizado pela Receita Federal nesta sexta-feira, a 12 dias do encerramento, representa cerca de 71% do total das declarações esperadas.

Baixar arquivo
Cultura

Podcast Entrevista é Nacional: a mistura de Beatles com baião

A banda Beatles Cordel mistura música, poesia e teatro para homenagear John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr. Confira no Entrevista é Nacional desta sexta-feira. 

Baixar arquivo