OCDE prevê retração da economia brasileira em 2020

Porém, entidade vê otimismo para 2021 e indica retomada

Publicado em 17/12/2020 - 10:21 Por Renata Martins - Brasília

A Organização Internacional para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou um documento que prevê retração na economia brasileira este ano, mas indica retomada do crescimento econômico e saldo positivo já em 2021.

Pelas projeções da OCDE, o Brasil fechará 2020 com PIB de -5,0%, já no próximo ano a previsão é que o Produto Interno Bruto cresça 2,6%.

Nessa quarta-feira (16), o organismo apresentou um novo relatório sobre o Brasil, no qual afirma que o governo brasileiro reagiu de maneira decisiva à crise da covid-19, apoiando, sobretudo, os mais vulneráveis.

Segundo a OCDE, as medidas terão reflexos positivos de longo prazo.

A organização internacional apresenta recomendações, uma espécie de dever de casa para o Brasil.

Entre as propostas está a revisão dos gastos púbicos, com a redução de subsídios e isenções fiscais para empresas, por exemplo. Segundo a OCDE, essa política corresponde a cerca de 5% de todo o Produto Interno Bruto brasileiro.

A organização critica a alta carga tributária, propõe o avanço das reformas, como a fiscal, e políticas de capacitação para preparar os trabalhadores para as mudanças que estão pela frente.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o diagnóstico da OCDE está alinhado com as ações do governo porque destaca a importância de avançar com reformas econômicas. Guedes disse, ainda, que o cenário provocado pelo novo coronavírus foi desafiador e lembra que o país gastou mais de 8% em déficit primário nas ações de combate à pandemia.

Não é só de corte de gastos que fala o relatório da OCDE. A organização sugere que o Brasil amplie o número de beneficiários e o valor do Bolsa família e invista em fiscalização para conter crimes ambientais.

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, disse que o Brasil tem potencial para liderar o caminho de reconstrução da economia global de forma mais sustentável e inclusiva.

A saúde da economia brasileira e mundial depende também de uma população imunizada contra o novo coronavírus.

Para Álvaro Pereira, diretor da OCDE, a aplicação da vacina nos próximos meses é fundamental para a recuperação da economia.

A organização estima que, sem o sucesso da vacinação, a economia mundial pode crescer entre 1% e 2% a menos.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Cultura

Perto dos 90 anos, Zuenir Ventura estreia série Depoimentos Cariocas

Vídeos sobre a memória da cidade do Rio de Janeiro, por meio do olhar de quem já contou tantas histórias sobre ela, são o tema da série “Depoimentos Cariocas”.

Baixar arquivo
Saúde

SP: motoristas e cobradores de ônibus começam a ser vacinados

Motoristas e cobradores de ônibus municipais e intermunicipais do estado de São Paulo começaram a ser vacinados nesta terça-feira. Vão receber a vacina as pessoas com mais de 47 anos, e a previsão é imunizar 165 mil trabalhadores.

Baixar arquivo
Saúde

Câmara discute autorização do cultivo da maconha para uso medicinal

Agressão e bate-boca marcaram a discussão na Câmara dos Deputados sobre o projeto de lei que autoriza o cultivo da maconha para fins medicinais e a votação da medida foi adiada.

Baixar arquivo
Segurança

Golpe! Falsários enviam carta informando sobre supostas indenizações

Mais um golpe na praça. Tem gente se passando por representante do Ministério da Economia e enviando uma carta para contribuintes informando sobre supostas indenizações ou resgate de contribuições previdenciárias.

Baixar arquivo
Internacional

Consulado do Japão oferece 6 tipos de bolsas de estudo a brasileiros

As oportunidades são para cursos de graduação com duração de 5 anos; escola técnica com previsão de formação em 4 anos e cursos profissionalizantes com duração de 3 anos.

Baixar arquivo
Saúde

Prefeitura do Rio vacina pessoas a partir de 41 anos com comorbidades

A partir desta semana, a Prefeitura do Rio de Janeiro passa a vacinar duas faixas etárias por dia contra a covid-19. A imunização será para quem tem 42 e 41anos e tem comorbidades. Profissionais de saúde também devem procurar os postos de vacinação de acordo com a idade.

Baixar arquivo