OCDE prevê retração da economia brasileira em 2020

Porém, entidade vê otimismo para 2021 e indica retomada

Publicado em 17/12/2020 - 10:21 Por Renata Martins - Brasília

A Organização Internacional para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou um documento que prevê retração na economia brasileira este ano, mas indica retomada do crescimento econômico e saldo positivo já em 2021.

Pelas projeções da OCDE, o Brasil fechará 2020 com PIB de -5,0%, já no próximo ano a previsão é que o Produto Interno Bruto cresça 2,6%.

Nessa quarta-feira (16), o organismo apresentou um novo relatório sobre o Brasil, no qual afirma que o governo brasileiro reagiu de maneira decisiva à crise da covid-19, apoiando, sobretudo, os mais vulneráveis.

Segundo a OCDE, as medidas terão reflexos positivos de longo prazo.

A organização internacional apresenta recomendações, uma espécie de dever de casa para o Brasil.

Entre as propostas está a revisão dos gastos púbicos, com a redução de subsídios e isenções fiscais para empresas, por exemplo. Segundo a OCDE, essa política corresponde a cerca de 5% de todo o Produto Interno Bruto brasileiro.

A organização critica a alta carga tributária, propõe o avanço das reformas, como a fiscal, e políticas de capacitação para preparar os trabalhadores para as mudanças que estão pela frente.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o diagnóstico da OCDE está alinhado com as ações do governo porque destaca a importância de avançar com reformas econômicas. Guedes disse, ainda, que o cenário provocado pelo novo coronavírus foi desafiador e lembra que o país gastou mais de 8% em déficit primário nas ações de combate à pandemia.

Não é só de corte de gastos que fala o relatório da OCDE. A organização sugere que o Brasil amplie o número de beneficiários e o valor do Bolsa família e invista em fiscalização para conter crimes ambientais.

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, disse que o Brasil tem potencial para liderar o caminho de reconstrução da economia global de forma mais sustentável e inclusiva.

A saúde da economia brasileira e mundial depende também de uma população imunizada contra o novo coronavírus.

Para Álvaro Pereira, diretor da OCDE, a aplicação da vacina nos próximos meses é fundamental para a recuperação da economia.

A organização estima que, sem o sucesso da vacinação, a economia mundial pode crescer entre 1% e 2% a menos.

 

Últimas notícias
Segurança

PF faz operação contra lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Ação é desdobramento de investigação contra o ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes. 11 mandado de busca e apreensão são cumpridos no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Baixar arquivo
Esportes

Robert Scheidt vence na classe Laser da Europa Cup

Scheidt esteve sempre na liderança, vencendo seis das oito regatas, e soma 91 títulos internacionais.

Baixar arquivo
Economia

História Hoje: há 230 anos, Bolsa de Nova Iorque era fundada

Vinte e quatro corretores e a assinatura de um pacto marcaram a fundação da Bolsa de Valores de Nova Iorque em 17 de maio de 1792. Em resposta à crise financeira da época, o Acordo Buttonwood buscava promover a estabilidade no mercado e garantir transações confiáveis.

Baixar arquivo
Esportes

Internacional e Cruzeiro empatam pelo Brasileirão Feminino

O Palmeiras segue líder com 22 pontos, Corinthians, com 21, e o Inter, com 20.

Baixar arquivo
Esportes

Ituano e Grêmio empatam no encerramento da rodada da Série B

Já nesta terça-feira, teremos a abertura da oitava rodada da Série B. Às 21h30, tem Novorizontino e Sport.

Baixar arquivo
Geral

Ciclone Yakecan pode provocar ventos de 100km/h no sul do Brasil

Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão em alerta vermelho por causa da tempestade subtropical, que deve evoluir ao longo desta terça-feira. Paraná e o sul de São Paulo também devem ser afetados.

Baixar arquivo